Primeiras Impressões: Hataraku Saibou Black Com base numa abordagem mais madura e sombria, o spin-off foca em doenças mais graves decorrentes de vícios.

Pires94
(redator de noticias)
Hataraku Saibou Black
© Hataraku Saibou Black

Ficha Técnica – Hataraku Saibou Black

Gênero: Seinen, Ação

Estúdio: LIDENFILMS

Origem: Mangá

Data de Estreia: 09/01/2021 (Japão)

Um outro lado de Cells at Work que você precisa conhecer.

Contando com a produção da LIDENFILMS (Tejina-senpai, Berserk, Koi to Uso, Rokudenashi Majutsu Koushi to Akashic Records, Yamada-kun to 7-nin no Majo), o spin-off de Code Black apesar de manter a mesma temática didática de Hataraku Saibou, ao mesmo tempo a obra tem por premissa revelar e destacar um outro lado obscuro, de mensagem negativista e completamente diferente em relação às doenças e à saúde humana, em contraste com a série original e a segunda temporada da mesma.

A mudança é tão nítida que podemos chamar de “uma passagem do shounen para o seinen“. Tal transição, consequentemente, atrairá públicos diferentes mas, até que ponto isso pode ser considerado melhor ou pior. Cabe esperarmos o resultado final. É muito cedo para afirmarmos qualquer coisa a respeito.

Temos novos personagens? Sim. Os protagonistas são um eritrócito chamado AA2153 (como um novato, ele estava inicialmente animado com sua missão de ir aos pulmões, apenas para encontrar os LDL, monóxido de carbono e pneumococo ao longo do caminho), e sua linda, mas mortal amiga leucócita chamada U-1196 (a qual está muito empenhada em sua missão, é extremamente focada e nunca reclama das dificuldades de trabalhar sob as más condições que se apresentam ou do mau tratamento que recebe, pelo contrário, ainda assim agradece o apoio e mostra respeito às outras células. Ela é descrita como uma “irmã mais velha heróica” que trabalha muito pelo bem de sua missão. Embora seja uma célula calma e carinhosa, ela tem a tendência de ser crítica consigo mesma e trabalhar demais. Ela é boa amiga de dois soldados neutrófilos brincalhões, mas não identificados, e de AA2153. 

Pra se ter uma noção.. até mesmo as plaquetas do primeiro episódio são outras… Pelo visto mais rebeldes e enigmáticas, diferente das quais presenciamos e estamos acostumados anteriormente (com sua fofura e inocência).

No entanto, nem tudo mudou. Os dois personagens principais, assim como na primeira temporada, continuam sendo os glóbulos vermelhos e brancos.

Sobre o primeiro episódio: Talvez a mudança principal seja em relação ao ambiente em si, um corpo humano de meia-idade, “com sintomas não só de fadiga, mas também privação de sono. Sem falar no hábito de comer e beber excessivamente. Tudo isso só está piorando.” Para “ajudar” ainda mais, temos a presença dos “caras do colesterol ruim, ou LDL, os quais eliminam ilegalmente o colesterol secretado pelo fígado. Isso pode bloquear o vaso, causando esclerose arterial. “

Estresse também é outro problema mencionado aqui. “O estresse gera níveis elevados de oxigênio ativo, criando saliências nas paredes dos vasos.” Tudo isso faz com que as vias fiquem cheias de toxinas, sujeiras, necessitando de reparos. O anime ilustra bem isso.

Outro diferencial é que os pneumococos ressurgem e atacam gravemente os glóbulos vermelhos, a ponto de realmente exterminar alguns… Infelizmente… Mas, o trabalho de transporte do oxigênio não permite pausas!! mesmo apesar de AA2153 ter medo de seguir em frente e estar cansado da triste realidade ao seu redor, seu trabalho deve continuar!! “Emoções, de jeito nenhum é fácil suprimi-las…” . Por sorte, sua parceira e braço direito White Blood Cell, sempre está ao seu lado nas horas mais desesperadoras o ajudando com sua sabedoria e determinação.

Hataraku Saibou Black
© Hataraku Saibou Black

Sinopse:

“Álcool, fumo e estresse – no corpo submetido a esses irritantes, as células responsáveis ​​por manter a vida parecem travar uma guerra que nunca termina. Devido a uma grande escassez de trabalhadores, o Red Blood Cell AA2153 precisa aprender rapidamente a fornecer oxigênio e coletar dióxido de carbono, mesmo em condições perigosas. Enquanto isso, White Blood Cell U-1196 tem que fazer sua parte ao lidar com germes e vírus durante situações de risco de vida. Em meio a essas crises, eles têm que trabalhar juntos para manter o corpo saudável, apesar de não saberem se valerá a pena seus sacrifícios.

Hataraku Saibou Black tem uma abordagem diferente, mostrando o lado mais corajoso das tarefas que nossas células executam.”

Hataraku Saibou Black
© Hataraku Saibou Black

Expectativas:

Coincidentemente ou não, assim como as estreias do spin-off e da segunda temporada de Cells at Work foram praticamente uma seguida da outra, meu sentimento em relação à ambas é de excelente receptividade; as duas devem estar bem próximas em termos de resultado lá no topo. Sinceramente, achei bem interessante mudar o ambiente da obra para algo com um caráter de maior seriedade, no intuito de demonstrar qual a real gravidade de determinadas situações. Tocar em certos pontos, mexer na ferida, conscientizar sobre a prática de certos hábitos pode ser fundamental, principalmente se percebermos uma eventual tendência dependendo da faixa etária do público alvo. Foi exatamente esse o objetivo primordial do anime, só em 1 episódio vários elementos foram destacados. Não esperava tanto de Code Black, mas agora despertou de vez minha atenção. Se você acha que as células estavam tendo muito trabalho até o momento, imagine agora diante de tantos problemas…

Nota: 4,5/5,0

SUA OPINIÃO É IMPORTANTE. COMENTE AQUI!
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião
deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

0 0 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments