Primeiras Impressões: Slow Loop “Tá nervoso?? Vai pescar!!”

Pires94
(redator de noticias)
Slow Loop
© Slow Loop

Ficha Técnica – Slow Loop

Gênero: Slice of Life, Esportes
Estúdio: Connect
Origem: Mangá
Data de estreia: 07/01/2022

Feliz Ano Novo a todos!! Sejam muito bem vindos à temporada dos animes de inverno de 2022!! Espero que esse ano seja realmente excelente em todos os sentidos (inclusive no universo otaku!!), afinal 2021 não foi moleza né galera??

E, para descontrair, nada melhor que assistir uma série bem relaxante e reconfortante. Estamos falando de Slow Loop!!

1) Produção:

Ah… como é boa a sensação de ver a vinheta da Kadokawa logo de cara nos animes… a sensação que eu tenho depois de acompanhar diversos trabalhos da mesma é.. mais ou menos… “Se é Kadokawa, é bom!!” A marca da Kadokawa se tornou símbolo de confiança.

Juntamente à Kadokawa está a flying DOG (encarregada de grandes títulos como Gakusen Toshi Asterisk, Kore wa Zombie Desu ka?, Blood Lad, Accel World, Samurai Champloo).

Kadokawa (dispensando demais elogios, ela é responsável por inúmeros títulos como: Sword Art Online: Alicization, Re:Zero kara Hajimeru Isekai Seikatsu 2nd Season, Overlord, Magical Girl Spec-Ops Asuka, entre outros).

Já o estúdio responsável pela série é a Connect (a qual tem razoável peso e experiência, desenvolvendo trabalhos como Strike the Blood, Ore wo Suki nano wa Omae dake ka yo, Death March kara Hajimaru Isekai Kyousoukyoku).

Staff

  • Noriaki Akitaya  (Bakuman., Castle Town Dandelion, ORESUKI) Está dirigindo o anime pela CONNECT.
  • Yuka Yamada (Kobayashi-san Chi no Maid Dragon, Asteroid in Love, Umi Monogatari) é responsável por escrever e supervisionar os roteiros;
  • Shoko Takimoto (BONJOUR Sweet Love Patisserie, ORESUKI) é responsável pelo design de personagens e direção de animação.

2) Personagens:

Hiyori-chan: Parece ser nossa protagonista. De início ela aparenta ter receio em interagir com outras pessoas, ao mesmo tempo em que sua mente sempre remete ao passado e às boas lembranças de seu pai. Além disso, Hiyori-chan tende a (sem querer) atrair umas certas pessoas (incomuns) ao seu redor;

Koharu: A dita garota incomum. Caracterizada por ser bem mais animada, curiosa e despreocupada, ela adora o mar (apesar de desconhecer algumas coisas), e é quem começa a criar laços com Hiyori. Koharu é também grande cozinheira.

3) Sobre o primeiro episódio, “Uma Garota Bem Incomum”:

História: Bom, basicamente a obra se inicia com o autor nos apresentando a personagem principal, Hiyori-chan, pescando, e resgatando memórias antigas de seu falecido pai. Aliás, nas palavras da própria garotinha, pelo visto seu pai “era bem incomum, e acabou falecendo há 3 anos, devido a uma doença bem conhecida.”

Posteriormente, surge uma nova personagem, Koharu, que é no caso a garota mencionada no título. Após ser “salva” por Hiyori-chan depois de quase pular com tudo na água gelada do mar, ela começa a interagir com a protagonista.

Percebendo então o interesse de Koharu pela pesca, Hiyori decide ajudá-la a ter seu primeiro contato com uma vara. No entanto, a única forma de praticar ensinada a Hiyori foi através da isca fly. Hora da diversão: As garotas enfim começam a pescar… e quem diria?? Não é que Koharu tem talento e consegue fisgar um peixe (no caso um serrão)??

Depois de algum tempo treinando, é a vez de saborear!! Hiyori-chan resolve preparar alguns sashimis. E é exatamente aqui que vemos como a vivência e o conhecimento da nossa protagonista foram influenciados por seu pai, se extendendo até a parte da cozinha!!

Itadakimasu!! Agora satisfeitas e de barriga cheia, é hora de ir para casa. Contudo, pelo visto, a realidade de Hiyori já é totalmente diferente. Durante seu breve tempo juntas, Koharu descobre que o verdadeiro motivo de Hiyori ter saído para o mar naquele dia foi simplesmente por estar receosa em encontrar sua nova família adotiva naquela mesma noite. Mal sabem as garotas que uma coincidência enorme as espera. Na verdade, ambas estão prestes a se tornar novas irmãs!!

Alguns dias depois. Agora já literalmente vivendo juntas, é hora de dar início aos estudos!! Ir para o ambiente escolar também significa responsabilidade. “Um uniforme novo, em um outro prédio da escola, e uma nova irmãzinha!! Será que as garotas irão ficar na mesma sala?” Vamos descobrir!!

Não faz muito tempo que Koharu e Hiyori se conheceram, contudo, elas já criaram afinidade, e agora devem juntas fortalecer não só sua relação entre irmãs mas, acima de tudo, estreitar o vínculo da amizade.

A premissa em termos de gêneros do anime se enquadra em ser um slice of life esportivo (pesca);

Slice of Life: A equipe de produção está de parabéns mas, vou especificamente deixar meus elogios aqui aos trabalhos de Noriaki Akitaya e Shoko Takimoto. Visto que ambos já contribuíram com o desenvolvimento de OreSuki, um excelente exemplo de slice of life, Slow Loop também tem um “bom espaço reservado para tal”;

Esportivo: No sentido teórico, a obra é inclusive bem instrutiva (desde a montagem, até as formas de lançamento de linha, como o false cast, back cast, forward cast, loop). Principalmente quem não entende muito sobre o esporte (tipo… eu!!), acaba aprendendo diversas coisas por meio de Slow Loop;

Despretencioso e Divertido: De início, a série não me aparentava ser tão boa quanto de fato foi. Inclusive, Slow Loop carrega um razoável tom de comédia com alternâncias ao longo dos episódios;

Imersivo: Por se tratar de um anime com visual impecável, paisagens naturais muito bem representadas (cenários como os da parte da manhã até o pôr do sol), personagens com perfis contrastantes, o autor nos coloca praticamente dentro da série;

Um outro ponto de merecido destaque é o da realidade familiar. Ao mesmo tempo em que temos um retrospecto conturbado, a novidade também se torna algo estranho para as personagens (mesmo que seus novos pais aparentem ser gentis). Apesar de tudo, por incrível que pareça, a rotina simples da pesca é, para as personagens, justamente o que as faz esquecer dos problemas da vida diária, é a melhor distração. Isso nos é mostrado de forma evidente, e com um ar de cooperação entre as meninas. “Afinal, o mar é o único que continua o mesmo…”

Enredo: Apesar de não ter muita profundidade, um mínimo de história nos é apresentada: O autor não se prende simplesmente ao elemento principal (prática da pesca);

Design de personagens: Me agradou bastante, os detalhes (arte, traçados) são praticamente impecáveis.

Slow Loop
© Slow Loop

Sinopse:

“Quando Hiyori⁠ – uma jovem cujo pai falecido lhe ensinou as alegrias da pesca⁠ – saiu para o mar por algum tempo sozinha, ela nunca pensou que encontraria outra garota lá.

Depois de um tempo, essa garota⁠ – chamada Koharu⁠ – e ela acabam pescando e cozinhando juntas e, nesse meio tempo, passam a se conhecer um pouco. Durante seu breve tempo juntas, Koharu descobre que a razão de Hiyori ter saído para o mar naquele dia foi porque ela estava hesitante em encontrar sua nova família adotiva naquela mesma noite. Mas que coincidência! Koharu também vai conhecer sua nova família esta noite! “Não. Não pode ser coincidência…” Acompanhe essas duas ‘irmãs’ e sua nova vida juntas!”

Slow Loop
© Slow Loop

Expectativas:

A impressão que eu tenho cada vez mais é que um anime moe com garotinhas fofas fazendo coisas fofas (CGDCT) consegue tornar coisas que na teoria seriam “sem graça”, sempre muito mais animadas, e Slow Loop consegue entregar isso.

Particularmente falando, nunca fui um fã de pesca, seja de programas na TV, ou até mesmo da prática em pesqueiros, mas, assim como Houkago Teibou Nisshi (um outro anime muito bom sobre pesca) me chamou a atenção, a obra não deixa nada a desejar.

Acredito que no final das contas, Slow Loop conseguirá subir um pouquinho no ranking, porém, não será tudo isso, acabando por figurar no meio termo, afinal parece que o trending da década de 20 são as continuações mesmo.

Nota: 4,0/5,0

SUA OPINIÃO É IMPORTANTE. COMENTE AQUI!
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião
deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.