Primeiras Impressões: Bucchigire! Um sério candidato a melhor anime do ano!

Josué Fraga Costa
Geno Studio/Bucchigire!
©Geno Studio/Bucchigire!

 

Ficha Técnica: Bucchigire!

Gênero: Ação
Estúdio: 
Geno Studio
Diretor:
Tetsuo Hirakawa
Origem: 
Original
Data de estreia: 
08/07/2022

De bate pronto, um dos melhores animes que 2022 tem a oferecer, sem dúvidas, isso é o primeiro episódio de Bucchigire. A animação é de grande qualidade para uma produção de baixo orçamento feita pelo pessoal da Twin Engine com o Geno Studio, a trilha sonora é composta por Yasuharu Takanashi, e se você não o conhece, ele é simplesmente um dos compositores mais conhecidos da indústria da animação no Japão, fez a trilha sonora de Naruto Shippuden e de Fairy Tail, ao escutar mais atentamente à trilha sonora eu logo lembrei de lutas em Naruto e da animação de Fairy Tail. É uma estória bem promissora que usa elementos conhecidos de maneira brilhante. A mesma une inspirações da era do xogunato no Japão, onde os samurais eram a lei e um pouco de ficção com temática do folclore japonês. Começa apresentando o personagem central, não diria o principal, pois, há com ele outros que compõe um todo. Ichibanboshi, o suposto “protagonista”, está caçando certos samurais que usam uma máscara diferente, os quais mataram seus pais e irmão, só que a criatura ataca de maneira imbecil à um guerreiro armado com espada, e obviamente é detido e tratado como um criminoso que teve sua sentença de morte decretada, só que ele não é morto, ao invés disto ele é levado à Heisuke Todo, o único sobrevivente do grupo Shinsengumi (新選組 ou 新撰組), um grupo composto por samurais de elite, que sofreram um ataque de um grupo de mascarados, o mesmo grupo que o samurai que matou a família de Ichibanboshi. Junto a ele estão outros tantos “esplendorosos’’ personagens que compõe um grupo único, Heisuke oferece a estes uma oferta de serem samurais para recompor este grupo de elite em que ele fora o único a sobreviver, apesar dos danos permanentes ao corpo e mente.

Geno Studio/Bucchigire!
©Geno Studio/Bucchigire!

SÓ QUE, os candidatos à substituição são CRIMINOSOS de todos os tipos, é praticamente um esquadrão suicida. Sakuya é um assassino profissional que fazia parte de um grupo de assassinos chamado ‘Dark Killers’, Akira é uma espadachim de destaque e de incrível dedicação, mas fora considerada inimiga do estado, Sogen é um cientista louco com amplo conhecimento da anatomia humana, gosta de dissecar pessoas e foi preso por motivos óbvios, Suzuran é um monge budista que não deu muito certo por ser mulherengo e que provavelmente foi detido por isso, Gyataro é criminoso desde criança, roubando e matando a rodo, é um guerreiro habilidoso, mas come como se não houvesse amanhã, roubando comida sem nem pensar duas vezes, e um outro que sequer é apresentado mas que recusa a oferta de bate pronto e é morto por Sakuya de maneira implacável. Com a exceção de Ichibanboshi e Heisuke, todos os outros são inspirados em personalidades reais da era do xogunato no Japão, seja em aparência ou persona. Todos eles aceitam a oferta de Heisuke para serem samurais substitutos na missão de descobrir mais sobre o grupo mascarado que tem corrompido o xogunato e logo no primeiro episódio suas personalidades são bem demonstradas e caracterizadas bem na estória, onde o fator de ficção entra, já que as espadas deles carregam as habilidades de seus antigos usuários e dão estas habilidades aos novos usuários.

Sinopse:

A história se passa no tempo em que os samurais governam o Japão. No entanto, a força policial de Shinsengumi foi praticamente exterminada por um inimigo desconhecido, exceto por um sobrevivente. Sete criminosos foram escolhidos como substitutos para o Shinsengumi. Para garantir a lei e a ordem em Kyoto, uma operação secreta de substituição é lançada.

Geno Studio/Bucchigire!
©Geno Studio/Bucchigire!

Expectativas:

Vale a pena acompanhar esta obra ORIGINAL (ou seja que não é adaptada de mangá ou novels), que possui grandes inspirações em personalidades reais do Japão, além de ter sua arte gráfica e design dos personagens inspirados por elas. Seu diretor é Tetsuo Hirakawa, que trabalhou em Jujutsu Kaisen, Afro Samurai e Vanitas no Karte, dá pra ver que estes trabalhos influenciaram na composição desta obra feita do zero, e o design dos personagens é de Hiroyuki Takei, criador de Shaman King, o design do personagem Heisuke é claramente originado do Yoh Asakura, ou seja, é um conjunto de qualidade a ser destacada de outras obras de 2022, com uma boa proposta de ação. Eu senti uma nostalgia muito boa de animes que via na infância com esta pegada shounen, que te animavam a ver a obra, com humor bem impregnado, ação pra te deixar colado na tela, personagens com personalidades e cada um sendo único, e um andamento que dá prazer em acompanhar, mas com um toque de anime seinen com os temas abordados por obras como Samurai Champloo e Afro Samurai. Uma mistura sensacional que me agradou em todos os aspectos, da animação e enredo até a abertura e encerramento que entram na minha lista de melhores aberturas e encerramentos que já vi e que recomendo assisti-los. Tem uma trilha sonora de grande qualidade, animação que figura entre as melhores do ano, uma estória interessante, diferente e também personagens com personalidade destacável. Se prendeu um cara que é chato com essas coisas como eu, com certeza vai te prender.

Notas: 5.0/5.0

SUA OPINIÃO É IMPORTANTE. COMENTE AQUI!
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião
deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.