Pessoas em Tóquio desafiam pedidos para ficar em casa durante surto de coronavírus Diferente de outros países, o Japão não obrigou as pessoas a ficarem em casa.

Ana
(Supervisora da redação)
@anapnf
Tóquio
©Tóquio

Por um tempo, os casos de coronavírus no Japão foram surpreendentemente baixos em comparação com vários outros países ao redor do mundo. No entanto, com pouquíssimos testes sendo realizados, especialistas se perguntavam se os números verdadeiros poderiam ser maiores e se as pessoas haviam sido levadas a um falso senso de complacência em um momento em que cidades ao redor do mundo estavam fechando.

Agora, as infecções estão aumentando a um ritmo alarmante e as rotas desconhecidas de transmissão em novos casos chegaram a 70%, levando o governo japonês a emitir um estado nacional de emergência. O primeiro-ministro Shinzo Abe, afirmou que um bloqueio como os vistos em Londres e Nova York não é possível aqui, devido às liberdades civis protegidas pela Constituição, e só pode pedir que as pessoas fiquem em casa e evitem coisas não urgentes e passeios não essenciais para ajudar a salvar vidas.

Em uma coletiva de imprensa recente, Abe disse: “As interações entre pessoas devem ser reduzidas em 80%, ou pelo menos 70%, para encerrar a declaração de emergência em um mês“. A julgar pelas cenas no final de semana, no entanto, a declaração de emergência pode precisar ser estendida, porque as pessoas parecem ter perdido o memorando para ficar em casa.

Em Enoshima, um popular destino de praia na província de Kanagawa, vizinha de Tóquio, as pessoas passeavam em um número tão grande no domingo que havia engarrafamentos nas estradas.

Esta fila de carros seguia para Kamakura, outro ponto turístico popular de Kanagawa, às 12h30 no domingo.

Na área de Setagaya, em Tóquio, que tem o maior número de casos de coronavírus na capital, as pessoas passeavam em massa, aproveitando o clima ensolarado como se fosse um fim de semana comum.

O Parque Olímpico de Komazawa, que fica na área de Setagaya, mas se estende parcialmente à area de Meguro, foi originalmente construído para os Jogos Olímpicos de Verão de 1964. No domingo, estava lotado de pessoas que usavam as pistas de corrida, ciclismo e caminhada que circundam o parque.

Desde os estágios iniciais do surto de coronavírus no Japão, o governo pede às pessoas que evitem os “três Cs” de: espaços fechados; lugares cheios; e contato próximo. Enquanto eles agora pedem às pessoas que permaneçam em casa o máximo possível o tempo todo, parece que o público se acostumou a pensar que ambientes ao ar livre, não fechados, representam pouco risco de contrair a doença.

Isso explica por que parques e outras áreas ao ar livre, como a margem do rio Tama em Futakotamagawa, estavam lotados no fim de semana.

Outro problema surge com o caso de lojas poderem permanecer abertas durante o estado de emergência. Como as lojas são consideradas um serviço essencial, as pessoas parecem pensar que uma vitrine não é diferente de uma mercearia essencial.

 

O foco do governo no fechamento noturno das lojas provocou piadas do público sobre como o vírus só deve sair à noite, mas está provando ser uma estratégia eficaz para manter as pessoas dentro de casa.

No entanto, como sabemos, o vírus não sai apenas à noite, ele é ativo 24/7 , e basta um toque no rosto ou um espirro ou tosse dentro de dois metros para se espalhar a uma taxa alarmante entre indivíduos, independentemente de você estar em um restaurante, loja, ponto turístico ou parque local.

Se as pessoas não respeitarem e não ficarem em casa, o governo poderá ter que aumentar as contramedidas contra o coronavírus e colocar ainda mais restrições ao movimento e às empresas públicas.

Fonte:Aqui!

SUA OPINIÃO É IMPORTANTE. COMENTE AQUI!
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião
deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

0 0 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments