Review: 5-Toubun no Hanayome Cinco irmãs, um professor e o amor.

Vitor Nascimento
(Redator de Notícias)
@ifusic
©Kodansha/Haruba Negi

5-Toubun no Hanayome – Ficha técnica

Gênero: Comédia, Romance, Escolar, Harém
Autor: Haruba Negi
Revista: Weekly Shounen Magazine
Editora: Kodansha
Estreia: Agosto de 2017

Obs: Essa review equivale à minha experiência com os primeiros 32 capítulos da obra; que se encontra em andamento.

5-Toubun no Hanayome ou The Five Wedded Brides, é um dos mangás novatos mais promissores comercialmente da Weekly Shounen Magazine; e vem ganhando uma certa popularidade dentro e fora do Japão. Nele, acompanhamos a história de Uesugi Fuutarou, um estudante do ensino médio de origem pobre, mas bastante dedicado aos estudos. Ele acaba sendo contratado para ser professor particular das quíntuplas Nakano; garotas bastante abastadas financeiramente, porém, muito desleixadas academicamente.

Inicialmente sendo bastante mal recebido pelas garotas, vemos o desenvolvimento da relação entre eles ao decorrer da obra. Este mangá é, primariamente, um harém com elementos de comédia romântica; sendo assim, ele fica propenso a alguns acontecimentos previsíveis para quem já teve contato com muitas histórias do gênero.

©Kodansha/Haruba Negi

Entretanto, 5-Toubun tem o fator primordial para uma história desse estilo funcionar: personagens femininas carismáticas com personalidades individuais e variadas. Tudo bem que algumas chamam bem mais atenção do que outras (#mikubestgirl), mas nenhuma chega a ser horrível.

As cinco irmãs, pela ordem de nascimento: Ichika, Nino, Miku (best girl), Yotsuba e Itsuki. Apenas para efeito de curiosidade, os nomes delas fazem referência aos números de 1 a 5 em japonês. Ichi – Um; Ni – Dois; Mitsu – Três; Yotsu – Quatro; Itsu – Cinco. A Ichika é a heroína estilo “Onee-san”, enquanto que a Nino e a Itsuki são tsunderes; a Yotsuba é a personagem desleixada, e a Miku, bem… não consigo descrever, simplesmente é a Miku, leia o mangá para entender melhor. O protagonista não foge do padrão denso de haréns, mas dá pra criar sim alguma empatia com ele.

©Kodansha/Haruba Negi | Miku Best Girl

Prosseguindo

Algo que considero uma grande virtude desses 32 primeiros capítulos foi o sentimento de progressão do enredo. Em obras desse estilo, não é incomum os autores acabarem se afastando demais do plot central: a famosa enrolação. Pelo menos até esse ponto, a trama está se desenrolando bem, prezando sempre pelo desenvolvimento dos personagens. Torço para que não entre no modo Nisekoi de encher linguiça. Em relação a fanservice, não temos nada muito pesado aqui, apesar de não ser totalmente inexistente.

©Kodansha/Haruba Negi

Agora vem o maior pecado de 5-Toubun no Hanayome: os indícios de com quem o protagonista Uesugi vai se casar (sim, casar). O autor deu pistas tão claras que já dá para ter uns 99% de certeza da garota que ele escolherá. O problema nisso tudo é que, ainda assim, ele tenta criar um clima de “mistério” em tentativas falhas de deixar um ar de dúvida para a heroína que vencerá no final. Seria legal se ele fugisse do óbvio e o protagonista escolhesse outra, mas já temos tantos nuances que qualquer outra escolha seria praticamente uma falha de roteiro.

©Kodansha/Haruba Negi

Ainda assim, a obra consegue se manter consistente e bem-humorada, além de sempre ocorrer algo relevante. A interação entre os personagens é divertida e bem-utilizada. Vocês não têm noção do tanto de situações legais que são possibilitadas por as protagonistas femininas serem quíntuplas. A arte do mangá é bem charmosa, e não cai no mais do mesmo, tendo um traço mais redondo. As páginas coloridas e capas são ótimas, além de que as garotas são bonitas e bem desenhadas; alcançando bem o objetivo de atingir o público-alvo masculino. Recomendo fortemente para quem gosta de romance com harém.

Nota: 8 – Muito bom

SUA OPINIÃO É IMPORTANTE. COMENTE AQUI!
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião
deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.