Preview: Demi-Chan wa Kataritai Trama promissora e personagens interessantes são os pontos fortes do anime

Yorran Barone
Demi-Chan wa Kataritai
©A-1 Pictures

Demi-Chan wa Kataritai

Gêneros: Comedia/Fantasia/School/Seinen

Direção: Ryo Ando

Estúdios: A-1 Pictures

Estreia: 06 de janeiro de 2017

Sinopse

“Monstros lendários estão entre nós e se denominam Ajin (Demi/meio-humanos). Desde que um jovem descobriu a existência das criaturas, tornou-se obcecado em entrevistá-las e pesquisá-las. Quando consegue emprego como professor  em uma escola para meninas, o sonho alcançou a realidade. Isso porque, no corpo discente há garotas com essas características. Entretanto, as estudantes da instituição possuem problemas de adolescentes normais e carregam condições sobrenaturais. Deste modo, como o educador lidará com a situação classe? Vampira sem disciplina; dullahan tímida (menina sem cabeça) e garota da neve são exemplos de alunas presentes na trama. Há ainda uma súcubo, que profere aulas de matemática”

Historia 9/10

Demi-Chan wa Kataritai figura na lista de animes mais aguardados da atual temporada. Isso porque, o mangá desenvolvido por Petosu ultrapassou a marca de 1,1 milhão de cópias vendidas no Japão, algo que gerou a hype da fan base. Inclusive, tais números devem expandir, principalmente devido ao lançamento da adaptação em série animada.

Aqui vos fala um indivíduo sem conhecimento dos acontecimentos no material original e pela avaliação do episódio de estreia creio que acompanharemos trama promissora. Neste cenário escolar, é possível que o professor Tesuo Takahashi (protagonista) não se limite ao ‘estudo’ dos Ajins, mas passe a se envolver nos ‘conflito’ diários enfrentados pela raça.

Demi-Chan wa Kataritai
©A-1 Pictures

Até o momento, os pontos principais residem nas explanações proferidas pelas Demis, referente a estarem imersas nessa sociedade. Notei que duas apresentaram feições de tristeza, parecido com não pertencer a este mundo. Inclusive, garota citou um problema ao pegar ônibus, em determinados horários.

Segundo descrição da professora súcubo (Satou Sakie), a raça sofre discriminação há muitos anos e, no passado, foi alvo de perseguição. Porém, essa situação tem diminuído ao longo dos anos. “Atualmente, somos vistos como um aspecto qualquer de identidade”. Penso que o enredo ainda poderá trazer discussões no âmbito social, temática que engrandeceria o trabalho.

Destaque ainda para a primeira entrevista de Takahashi a aluna vampira (Takanashi Hikari). Na pauta de discussão figura as preferências gastronômicas da raça e se procede a questão sobre a necessidade de beberem sangue, por exemplo. Deixo pequeno spoiler sobre o último tópico: a conversa chegará nos vegetarianos, abordará ação do governo na entrega de alimentos e os sentimentos afetivos que caracterizam os vampiros (este apresentado de maneira geral e sob a perspectiva de uma adolescente).

Avalio como pontos negativos os esperados fan-services e clichês envolvendo o perfil das personagens. O roteiro da adaptação é de responsabilidade de Takao Yoshioka (Elfen Lied).

Demi-Chan wa Kataritai
©A-1 Pictures

Personagens 9/10

As personagens principais apresentadas devem gerar o apreço do público. Até o momento, confesso que nenhum me causou repulsa. O sensei Takahashi demonstra um perfil tranquilo, atencioso e é aberto para conhecer destalhes sobre a realidade dos Demis. Já a professora Satou costuma evitar conversas com os colegas. “Por isso me visto e ajo de maneira a evitar pensamentos sexuais”.

A colegial Takanashi Hikari teve papel de destaque. Engraçada, desbocada e imperativa são suas principais marcas. Fato interessante alcança seus laços de parentesco com uma humana. Ela é irmã gêmea de Himari Takanashi, vínculo que deve explicar aspectos genéticos sobre a relação Ajins e ‘terrestres normais’.

Kyouko Machi é uma dullahan (menina sem cabeça) tímida, simpática e ‘fofinha’ (kawai!), características semelhantes a Yuki Kusakabe, uma mulher da neve. Penso que o autor tenha repetido a ‘fórmula’ utilizada em outras produções do gênero, referente ao perfil das personagens. Basicamente, se algo tem resultado positivo, daremos continuidade.

Demi-Chan wa Kataritai
©A-1 Pictures

Arte 6/10

Trama promissora e papéis interpretativos interessantes são os pontos chaves de Demi-Chan wa Kataritai. Os dois tópicos a seguir não empolgaram. A arte traz cenários e planos bonitos, bem como esquema de cores, luz e sombreamento. Contudo, não é nada original. Apenas algo utilizado em obras anteriores encabeçadas pelo estúdio A-1 Pictures.

Não bastasse, os movimentos das personagens são pouco fluidos e seu design é fraco. Sem contar a premissa de fan-service na vampira parecida com um gato. Ryo Ando (GATE) é o responsável pela direção e Tetsuya Kawakami (Gakusen Toshi Asterisk) se encarrega dos desenhos.

Trilha Sonora 6/10

Primeiras trilhas também são simples e pouco equilibram com a cena em que estão inseridas. Algumas me gerou ‘nostalgia’, pois parecem músicas de keygen. O acerto ocorreu no final do episódio, por conta da composição com violinos. Por se tratar de estreia, ainda é possível que nos surpreendemos nesse quesito. Masaru Yokoyama (Mobile Suit Gundam: Tekketsu no Orphans, Garakowa, BBK/BRNK) cuida da área musical.

©A-1 Pictures

Conclusão

Demi-Chan wa Kataritai deve a atingir as expectativas dos fãs. Avalio que o lançamento semanal dos episódios será importante para o desenvolvimento contínuo da trama, portanto penso que não teremos algo morno ou ‘feijão com arroz’. Neste material, os diálogos e entendimento da situação dos Demis superam qualquer outro aspecto, situação em que os momentos de comédia devem ser deixados em segundo plano. Aos críticos de animação de plantão, peço que deem novas chances e priorizem o enredo. Deste modo, o proveito provavelmente estará garantido.

Nota Final 7,5!

SUA OPINIÃO É IMPORTANTE. COMENTE AQUI!
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião
deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of