Fantôme: o álbum de Utada Hikaru que é um tributo à vida Músicas da cantora trazem as mais diversas reflexões acompanhadas da melhor voz do Japão

Vitor Nascimento
(Podcaster)
@ifusic
Utada Hikaru ©

O público brasileiro talvez se lembre de Utada Hikaru como a cantora dos hits de Kingdom Hearts (Sanctuary e Simple And Clean) e Evangelion (Beautiful World e Sakura Nagashi).  No entanto, apesar dessas músicas serem supremas e encantadoras, é possível falar muito mais sobre a cantora. Utada Hikaru tem o álbum mais vendido fisicamente de toda a história moderna da música japonesa. O seu álbum, First Love, teve mais de 10 milhões de cópias vendidas no mundo todo. Em 2010, Utada tirou férias das suas cantorias e voltou delas com o seu álbum “Fantôme” lançado no dia 28 de setembro de 2016.

Fantôme

Muito que rege o mais novo álbum de Utada Hikaru tem a ver com o trágico suicídio de sua mãe em 2013, sobre o seu segundo casamento em 2016 e também o nascimento do seu primeiro filho. A primeira música do álbum “Michi” (Road em inglês) tem uma letra e uma melodia de alguém que reúne forças para seguir em frente. “Você ainda está dentro do meu coração não importa o quê”, diz um dos versos da música. É como se o “fantasma” de sua mãe ainda a acompanhasse e a desse forças. Além disso, a harmonia da música se parece muito com a dos seus álbuns anteriores, toca o fundo do coração e emociona por ser um meio da cantora tentar conciliar uma paz com a morte da sua mãe.

Com um pouco mais de pegada, a faixa seguinte, Ore no Kanojo (Minha namorada) fala sobre sentimentos pessoais da cantora. A música que mistura francês e japonês, apresenta uma jovem que de alguma forma busca descobrir mais sobre si mesma e também que busca almejar coisas melhores do que ser simplesmente alguém está presa ao marasmo do seu ambiente.“Eu quero ter a coragem de querer o que realmente quero”, Utada canta na música com sua voz insuperável.

A terceira faixa do álbum é Hataba Wo Kimi Ni (A bouquet for you em inglês). A música não traz muita inovação e é uma clássica balada pop japonesa. Contudo, a canção fala (muito provavelmente) sobre o funeral da sua mãe e é um momento especial de despedida. “Eu vou te dar um buquê / As coisas que eu quero dizer, o que eu quero dizer / Certamente há varias delas / Muitas que só Deus conhece / Vou te dar um buquê de lágrimas hoje.

Confira o emocionante clipe

Utada Hikaru e sua incrível parceria

Certamente uma das melhores músicas do álbum. Sheena Ringo e Utada combinam muito bem juntas e fazem de Nijikan Dake no Vacance um hit inesquecível. A música tem uma evolução incrível e nela as cantoras falam sobre escapismo e tentam aproveitar o melhor de suas vidas sabendo que o seu fim está próximo. É impressionante o modo como Ringo e Utada navegam entre a tristeza e a força para superar os seus medos. É impossível não shippar.

Ningyo (traduzida como “Sereia” para o português) traz um momento de reflexão, uma espécie de canção a beira do mar. É uma música que fala sobre uma espécie de nostalgia. “É estranho quando eu venho até aqui eu sinto como se pudesse te encontrar”, diz Utada em um pedaço da música enquanto sons de harpa tocam.

No entanto, uma outra música que chama a atenção é “Tomodachi”. Ela é mais uma das músicas delicadas do álbum e tem uma guitarra bem suave.  A letra da canção dá uma perspectiva de uma pessoa homossexual apaixonada por alguém hétero.

A sétima música do álbum é Manatsu No Tooriame, ela segue a mesma linha das outras músicas do álbum. Na música, Utada passa um sentimento de como se nunca fosse ficar feliz novamente enquanto ela presencia a sua mãe num momento em que ela nunca mais irá voltar.

Por outro lado, Kouya no Ookami (Lobos do Deserto) tem uma pegada bem dançante e fala sobre não querer se sentir preso a alguma coisa. A música é inspirada no romance do escritor alemão/suíço Herman Hesse, “O Lobo das Estepes”.

Mais um “feat” sensacional

Todavia, talvez a música mais brilhante do álbum seja Boukyaku. Música que a cantora faz parceria com KOHH e que tem um som único nesta sequência de músicas por combinar rap e pop. O clipe é extremamente espiritual, lindo e de acalmar a alma de qualquer um.

No lado mais bonito de Fantôme com certeza está “Jinsei Saikou No Hi” (O melhor dia da minha vida). Na canção, Utada embarca feliz em um ônibus enquanto está ansiosa para encontrar alguém. “Isso pode acabar sendo o melhor dia da minha vida”, pode-se ouvir na música felizinha.

Para fechar o álbum, a décima primeira música e última, Sakura Nagashi. A canção faz parte da trilha sonora de Rebuild of Evangelion 3.0: You Can (Not) Redo. A música é muito elegante e cheia de referências sobre a vida.

Fantôme é provavelmente o álbum japonês mais bem produzido dos últimos anos. A voz de Utada é incrível, talvez falte um pouco mais de profundidade e explosão em algumas músicas, mas o álbum como um todo é excepcional e tocante.

SUA OPINIÃO É IMPORTANTE. COMENTE AQUI!
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião
deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.