Review: O Cão Que Guarda As Estrelas – Você vai chorar ao ler esta obra O mangá é volume único e chama a atenção pela narrativa

Welerson Silva
(Redator do Blog)
O Cão Que Guarda As Estrelas
©O Cão Que Guarda As Estrelas, JBC

O Cão Que Guarda As Estrelas possui volume único e foi licenciado, aqui no Brasil, pela editora JBC. O mangá, escrito por Takashi Murakami, conta a triste e emocionante história de um cachorro chamado Happy e a convivência com seu dono.

Sinopse da obra:

Em O Cão Que Guarda As Estrelas, somos apresentados à vida cotidiana de uma família tradicional japonesa. Após a aparição de Happy, o cachorro que a família adotou, cada um passou a ter uma função com o animal. Enquanto a mãe ocupava-se em alimentá-lo, a filha brincava e oferecia carinho para ele. O pai tinha a obrigação de passear com o cachorro. Após alguns anos se passarem, as coisas na família desandaram, culminando em um divórcio e repartição de bens. O homem ficou absolutamente sem nada, apenas com a companhia de seu fiel companheiro. Daí em diante, o homem e o cachorro enfrentam diversas dificuldades, juntos.

O Cão Que Guarda As Estrelas
©O Cão Que Guarda As Estrelas, JBC

O sentido metafórico da obra

O nome “O Cão Que Guarda As Estrelas” notoriamente não poderia ser apenas uma sugestão vã para um trabalho. O próprio mangá ocupa-se em definir o motivo deste título. A frase é uma expressão inerente a cultura japonesa, utilizada para referir-se a uma pessoa que sonha alto, que almeja alcançar muitas coisas na vida, porém que pode acabar não materializando estes sonhos, podendo gerar, desta forma, uma possível frustração.

O Cão Que Guarda As Estrelas
©O Cão Que Guarda As Estrelas, JBC

A narrativa de um ponto de vista alternativo e o real sentido de fidelidade

Um ponto que considerei bastante interessante em O Cão Que Guarda As Estrelas, está justamente na narrativa, em como ela é contada. Na medida em que os eventos vão circundado o plot, somos postos à visão de Happy. Grande parte da história é narrada pelo cão, do ponto de vista dele. O modo perceptivo de como ele entende o mundo e as coisas que o norteiam. É exatamente por esse motivo, que acredito ser o apelo mais forte, que a história de O Cão Que Guarda As Estrelas se torna tão emotiva ao ponto de fazer com que o leitor chore em alguns trechos.

Fiz menção da realidade na qual o homem e Happy se encontravam. Logo depois de ter perdido tudo, o homem saiu cidade a fora em seu carro, sempre levando consigo Happy, que era sua maior companhia e que alegrava seus dias. Happy enfrentou momentos difíceis, como quando ele passou mal e seu dono teve que gastar tudo o que lhe tinha restado em seu tratamento. Mas em momento algum houve arrependimento da parte do homem por ter gastado seu dinheiro com o cachorro. Muito pelo contrário, ele ofereceu de coração, acreditando e torcendo pela melhora de seu amigo.

As cenas finais da obra são o clímax da tristeza. Meu objetivo não é oferecer a vocês spoiler sobre o que acontece ao final desta história, logo não abordarei sobre este ponto em questão. Sugiro que vocês mesmos procurem o mangá e leiam, atentos a cada sentimento externado pelos personagens, principalmente por Happy, que é o cerne de toda a questão.

O Cão Que Guarda As Estrelas
©O Cão Que Guarda As Estrelas, JBC

Considerações finais

A obra é extremamente imersiva e com uma construção de roteiro coesa, desde o início ao seu fim, direcionando de forma eficaz ao seu final. Apenas uma ressalva que eu faria é que, caso você possua um coração frágil para histórias emocionantes, ainda que sensacional, O Cão Que Guarda As Estrelas pode proporcionar um baque forte em seu psicológico.

Gostaram da review? Já conheciam esta obra? Se sim ou se não, deixem nos comentários a opinião de vocês, queremos saber.

SUA OPINIÃO É IMPORTANTE. COMENTE AQUI!
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião
deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.