Review: Just Because! O anime que representa a vida de um estudante como ela verdadeiramente é.

Márcio Vinicius
(Revisor de Editorial)
@mvini_oliv
©Pine Jam

Just Because!  – Ficha Técnica

Gênero: Slice of Life, Romance, Vida Escolar, Drama
Estúdio: Pine Jam
Baseado em: – (Material feito originalmente para a TV)
Número de Episódios: 12
Estreia: 2017 | Temporada de Outono

Em animes desse gênero, nos sempre esperamos clichês. Não foi diferente em Just Because!, porém, quando transformam o clichê em algo bom e mantêm ele estável, uma boa obra surge.

O estúdio Pine Jam, responsável pelo anime, é um estúdio novo, mas a maioria das obras que adaptou foi bastante regular. Kobayashi Atsushi, diretor do anime, não havia sido diretor principal até Just Because!, mas conseguiu fazer um bom trabalho em uma obra original.

Hajime Kamoshida, o mesmo autor de Sakurasou, foi quem escreveu a história. Ele tem experiência com histórias de romance e conseguiu passar esse “sentimento de realidade” junto ao diretor e ao estúdio. Em um todo, fizeram uma boa obra.

Os temas de abertura (“over and over” – Nagi Yanagi) e principalmente o encerramento (“behind” – Karin Isobe, Yuna Yoshino, Lynn) passam uma energia boa e agradável. Tudo foi feito totalmente para esse anime e, como curiosidade, quem canta a ending são respectivamente as dubladoras de Mio Natsume, Hatsuki Morikawa e Ena Komiya.

Just Because! começa de uma forma lenta, mas bem próximo a realidade. Com cores bonitas, porém, com tons frios para passar a monotonia do cotidiano. O que mais surpreendeu foi uma animação bem fluída para um anime do gênero slice of life. Normalmente esse tipo de obra não recebe animações muito boas.

Quando começamos o anime, não sabemos realmente como vai ser, quem está próximo de quem; são apresentados cinco personagens centrais, um deles, o Eita – que é o nosso protagonista. Ele foi transferido de sua escola para essa, mas não chega como desconhecido, pois já conhecia Haruto, que, era seu amigo no fundamental. E também a Natsume – que era seu interesse amoroso. As outras são Morikawa que é do clube de música e Komiya do clube de fotografia.

Ao passar dos episódios, temos uma evolução de todos os personagens centrais; seus sonhos e desejos, momentos de diversão entre eles e momentos de drama também. O que seria de um bom romance sem bons personagens? Nada! O momento em que se passa quando estão preocupados por estarem se formando e não saber ainda o que fazer, são pontos positivos do roteiro em si.

Os episódios se passam e finalmente temos uma espécie de triângulo amoroso. O que gera uma divisão de torcida para um dos lados, enquanto isso, Haruto tenta formar seu par romântico com Morikawa, que se desenvolve de forma bem emocionante durante os episódios. Voltando ao triângulo amoroso, você desperta um certo gosto por uma das heroínas, e torce para que ela consiga formar seu par com o protagonista, mas o Eita já gosta de uma e você já começa a perceber para que lado isso vai. Mas nada que desfaça a maravilha que essa obra é.

Essa anime pode ser comparado a realidade em si, pois nada acontece de um dia para outro do jeito que desejamos, leva dias ou até meses, tem que se passar por um bom tempo de evolução, e aprendemos outra coisa também, em alguns casos nunca é como você deseja, você sempre tem q ser preparar para o pior e o melhor, e nessa obra temos tudo isso e um final fechado com direito a declarações.

Então, se você gosta de obras mais lentas, próximas a realidade, com uma animação bem fluída para o gênero e com cores bonitas, esse anime é uma boa pedida para você. Eu “torcia” para a garota que foi rejeitada, mas mesmo assim não posso deixar de dizer que esse foi um anime maravilhoso e que merece ser assistido por vocês.

 Nota: 10 – Excelente 

SUA OPINIÃO É IMPORTANTE. COMENTE AQUI!
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião
deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.