TOP 10 Aberturas marcantes. Aqui você encontra uma top 10 de respeito.

Cássio Firmino
(Redator de Notícias)
@cassioaugussto
Aberturas
© Modern Boy by KirtoFx

É fato de que todo apreciador e amante de anime curte uma abertura e fechamento de suas animações preferidas. Porém, aqui estarão somente aberturas as quais achei as mais marcantes em minha humilde opinião. Antes de começar, quero deixar claro que não vou colocar mais de uma abertura por animação para ser democrático e justo. Ademais, eu irei sempre explicar as razões de eu estar colocando a tal abertura em determinada posição e, sobretudo, em minha seleção eu dou mais prioridade para a qualidade da música da abertura do que a animação da abertura em si, mas, obviamente, que sempre procuro um equilíbrio sensato em minhas escolhas. Enfim, espero que gostem e apreciem esse meu top.

TOP 10 aberturas marcantes:

Décima posição: “Key Plus Word“, segunda abertura de Persona 4: The Animation.

Persona faz muito mais sucesso com seus jogos do que com suas animações, é óbvio pelo fato de que tudo começou com o Persona 1 para o famoso PlayStation 1. Uma dica que eu dou é você que não assistiu ou não jogou Persona, comece jogando o terceiro da franquia que eu garanto que você vai começar adentrar nesse mundo incrível e querer saber de tudo que envolve esse mundo. Felizmente, no ano de 2011, fizeram sua série de animação (Persona 4: The Animation) e contemplaram-a com duas aberturas dignas, ambas cantadas pela talentosíssima Shiroko Hirata. Foi difícil escolher entre a primeira e segunda abertura, mas acredito que a segunda agrada mais por conter uma vibe mais “badass” em relação aos personagens. A ação de colocar e tirar óculos de cada um dos integrantes é bem maneira e combinada com essa guitarra medianamente pesada cria uma belíssima atmosfera, dá gosto de ouvir e, ao mesmo tempo, ver a abertura, sem contar com a animação frenética dos Personas que é bem excêntrica e diferenciada. A música contorna muito bem a animação e quando isso acontece se cria uma memorável opening, como é o caso. É, certamente, a introdução que eu mais acho bacana da série e me pego vendo-a ao menos uma vez no ano para bater aquela nostalgia, como um grandíssimo apreciador da série Persona. É, sem dúvidas, merecedora e portadora da décima posição por todo significado, musicalidade e aparência que detém tal opening. Ademais, Persona é famosíssimo e respeitadíssimo em todo mundo pela sua trilha sonora de seus jogos, vale a pena demais você ver no YouTube as trilha sonoras de seus jogos e animações.

Nona posição: “Daze“, abertura de Mekakucity Actors.

É, Mekakucity Actors não é lá daquelas animes mais conhecidos, é julgado por muitos como uma animação confusa e que não chega a ser um grandíssimo anime. Porém, sua abertura, em minha opinião, consegue ser melhor do que a própria obra. O motivo? É simples. A música simplesmente encaixa, é uma canção que fica na cabeça pela voz feminina e agitada performada por pela cantora MARiA pertencente a famosa banda GARNiDELia. Eu sempre fui um fã de músicas agitadas, com ápices, guitarras presentes, baixos bem audíveis, portanto sou do tipo que gosta desse tipo de música que está presente nessa abertura. Eu sou sincero, eu não cheguei a concluir Mekakucity Actors devido ao fato de que não gostei das vertentes que a história tomou e, sinceramente, é um anime confuso e que se salva por causa de sua belíssima opening. É uma música e, sobretudo, abertura que me pego escutando sempre, que todas as vezes que mostro a alguém é fato de que a pessoa irá gostar, nada como uma música agitada e bem formada. Os animes da atualidade podem dar de dez a zero em Mekakucity Actors em setores como animação e história, todavia será muito difícil, com a qualidade e execução das aberturas da atualidade, superarem Daze que está inserida em diversos tops de aberturas publicados no mundo todo.

Oitava posição: “Karma“, abertura de Tale of the Abyss.

Tales of the Abyss é, certamente, uma animação oriunda de um jogo que deve ser considerada como desconhecida para muitos. A série Tales of consiste em em diversos jogos de RPG publicada pela Namco. Bem conceituada e popular no Japão e, sobretudo, medianamente conhecida no mundo todo, Tales of the Abyss foi lançado em 2005 para Playstation 2 e tem muita semelhança com o famoso Tales of Symphonia. A adaptação em anime do jogo, foi desenvolvida pela Sunrise. Indo direito ao ponto, a abertura dessa animação é protagonizada pela banda Bump of Chicken, banda essa que tem uma enorme quantidade de músicas famosas e, sinceramente, eles mandam muito bem mesmo e vale muito a pena sacar as mais famosas deles. Karma é uma música incrivelmente conhecida, com mais de 32 milhões de visualizações no YouTube, ela consegue ser bastante tocante pela voz suave que o vocalista possui, além disso é uma canção que tem seu ápice e não é uma daquelas músicas tocantes que são melosas e chatas como é possível ver em diversas aberturas. Em relação à animação, é um bom anime e com uma trama legal, não é lá grande coisa, mas é, por sorte, portador de uma tremenda opening. Em outras palavras, Karma é considerada uma música “hino” do Japão por ser completa, é obrigatória para todo fã ou bom apreciador de canções orientais.

Sétima posição: “Ranbu no Melody“, décima terceira abertura de Bleach.

Conhecida por muitos, essa abertura de Bleach devia servir de exemplo, é exemplar em suas animações alternando cenas lindíssimas com os personagens, belos cenários e, obviamente, uma música frenética e inesquecível de SID. Essa banda já é bem conceituada por muitos, caso você não saiba ela é a que canta Uso, a primeira ending de FMA: Brotherhood que fez um enorme sucesso por ser uma música tocante e de melodia bem tranquila. Em contrapartida, em Ranbu no Melody podemos ver uma música mais pesada em comparação a Uso, ela contempla mais o som de guitarra um tanto quanto pesada e nós mostra um rock mais raiz. Além disso, eu cravo essa abertura, pessoalmente falando, como a melhor de Bleach superando até mesmo a After Dark do Asian Kung-Fu Generation, mas…me dói um pouco em não colocar ela aqui, mas que fique de menção honrosa ela por todo meu carinho.

Sexta posição: “Ready Steady Go“, segundo abertura de Fullmetal Alchemist.

É uma tarefa muito árdua, é algo considerado dificílimo para um ser humano apenas escolher uma única abertura de Fullmetal Alchemist como um todo. É uma concorrência muita grande, eu fiquei pensando por dias em quem ia entrar, é triste não colocar a primeira abertura do Brotherhood da cantora Yui que até hoje me causa arrepios, é chato não honrar essa minha lista com a música Golden Time Lover da terceira abertura, é complicado selecionar uma abertura diante de um mar de tantas com qualidade e que ficam na mente pela grandeza do anime e das músicas. Enfim, cheguei a conclusão de que Ready Steady Go é, pessoalmente, a melhor de todas. Cantada pela conhecidíssima banda L’arc en ciel, é uma opening que ficou na minha mente desde moleque quando assistia esse anime na Animax, ela me marcou numa época que não me considerava um amante de animes e tampouco de música japonesa, portanto ficou colada em minha mente. Essa abertura me emociona por exibir os personagens mais marcantes da série na época (Maes Hughes mito!), por mostrar que a jornada dos irmãos Elric iria ser com certeza épica, ela beira o perfeito. A música acompanha perfeitamente a cena e arranca sempre um sorriso quando eu a vejo, é uma abertura, música e, sobretudo, anime que nunca vou esquecer, vou levar para à vida toda.

Quinta posição: “Gun’s & Roses“, abertura de Baccano!.

Baccano! conseguiu mostrar para o mundo que uma abertura não precisa de voz. A banda Paradise Lunch dá um show instrumental em Gun’s & Roses, é animada e groovy, além do jazz é bem presente fazendo com que os amantes desse estilo musical abram um sorriso assim como na abertura do famoso Cowboy Bebop. Além disso, o desenrolar animado da abertura é impecável mostrando personagem por personagem de uma forma única que faz você querer conhecer cada um, faz a pessoa já gostar de um ou outro pelo jeito e aparência, sem contar que a música engloba com maestria as cenas dinâmicas da opening. Baccano! é um prato cheio para quem gosta de personagens excêntricos e de época, sem contar que há nele um forte mistério e revelações impressionantes. Em suma, é uma opening digna para jamais ser pulada.

Quarta posição: “Puzzle“, abertura de Welcome to the N.H.K.

Esses trompetes dessa abertura…esses malditos trompetes são inesquecíveis, além disso são contemplados por uma belíssima voz feminina que passa tranquilidade e pacificidade. Puzzle é uma abertura que me faz lembrar uma época específica da minha vida! Eu confesso que vi Welcome to the N.H.K por sorte, por ter visto de relance algo sobre em alguma loja, mas considero essa animação num nível tão elevado quanto sua opening. É um anime que te faz crescer, faz você refletir sobre ser social e antissocial, cria questionamentos sobre o que é realmente depressão e como ela lhe afeta, sobre como escolhas afetam sua vida, é uma obra impecável e que nunca vai sair da sua memória. Você já pode ter noção de que o principal é uma pessoa que não gosta de socializar, algo bastante normal no Japão. E, é justamente por isso, esse anime foi considerado como uma tapa na cara da sociedade japonesa e, sobretudo, para todos que vivem de modo semelhante aos Hikikomori (isolados em casa). Eu tenho conhecimento de que a animação não é lá das mais conhecidas e que tal abertura não está ingressada em tantos tops por aí, mas confie em mim, assista. Assista que você vai entender o quão forte é a mensagem do anime, o quão intensa essa abertura e música se tornam quando você finaliza a série.

Terceira posição: “Kuchizuke Diamond“, abertura de Yamada-Kun to 7-nin no Majo.

Um surpreendente opening. Um anime que veio sem pretensões, uma bela comédia com pitadas de romantismo que veio envolvido com uma belíssima melódia embutida que fez com que Yamada-kun to 7-nin-no Majo se tornasse um dos pilares. Para mim, essa animação não está em meus melhores animes, todavia está com toda certeza absoluta de que ela faz parte do top da maiores das pessoas pelo simples motivo de ser boa. É uma música que convence, ela não apela e simplesmente hipnotiza todos que as escutam e veem! Weaver é uma banda que conquistou, ela mostrou que seu poder musical superasse muitíssimas aberturas e músicas. Por suma, é uma das aberturas que mais se destacam nos dias de hoje e que mais chamam atenção pelo seu brilhantismo… É agradável a todos os gostos.

Segunda posição: “Re:Re:“, abertura de Boku Dake ga Inai Machi.

Um eremita das aberturas, um sensei de todas. Asian Kung-Fu Generation da uma lição de como ter uma belíssima música embutida em cenas de um anime histórico. Simplicidade, pureza, clareza, perfeição, esses são alguns adjetivos que podíamos dizer que Boku Dake ga Inai Machi dispense comentários, é simplesmente uma “must see” e não há como falar muito…é digníssima de ser minha segunda posição e disso nunca me arrependerei.

Primeira posição: “Brave Shine“, segunda abertura de Fate/Stay Night: Unlimited Blade Works.

Uma obra-prima, uma masterpiece. De AimerBrave Shine é uma música épica para o anime certo. Suas letras em inglês encaixem de forma perfeita e entregam uma abertura totalmente impecável em todos os quesitos. É um banho de animação, musicalidade e perfeição em todos os quesitos que chegam a beira do inexplicável… É só sentir para ver o potencial da animação e da música, é fora do patamar, é épico.

SUA OPINIÃO É IMPORTANTE. COMENTE AQUI!
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião
deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of