Kimetsu no Yaiba: Mugen Ressha-hen ganha o prestigioso Prêmio Fujimoto no Japão O prêmio reconhece os melhores longas lançados no Japão.

Ana
(Supervisora da redação)
@anapnf
Kimetsu no Yaiba
©Kimetsu no Yaiba

O Eiga Engeki Bunka Kyoukai (Associação de Cultura do Filme Cinematográfico) anunciou os vencedores do 40º Prêmio Fujimoto. A equipe de produção do filme Kimetsu no Yaiba: Mugen Ressha-hen (que inclui o presidente e produtor da Aniplex, Atsuhiro Iwakami, o fundador e presidente da Ufotable, Hikaru Kondo; e Makoto Ooyoshi da Shueisha), receberam o prêmio na edição deste ano.

O Prêmio Fujimoto, em homenagem ao produtor das séries Shachou e Wakadaishou, Sanezumi Fujimoto, reconhece as realizações dos produtores de cinema que trabalharam em filmes populares e divertidos. Os prêmios deste ano reconheceram filmes lançados entre abril de 2020 e março de 2021. O comitê da associação declarou:

O filme de animação, que começou como uma série de mangá no Weekly Shonen Jump de Koyoharu Gotouge e atingiu o pico de sua popularidade através de transmissões de anime, tornou-se um fenômeno social com seus visuais e música avassaladores. Sua história cativante que se estendeu por gerações, cativando a imaginação de jovens e velhos, combinada com a poderosa música-tema de LiSA, criou um fenômeno social que ressoou com quase 30 milhões de telespectadores. O filme também fez um enorme sucesso internacional, chegando a quebrar recordes nos Estados Unidos. Mugen Ressha-hen revitalizou enormemente a luta da indústria cinematográfica, que foi afetada pelo COVID-19″

O longa estreou nos cinemas japoneses em 16 de outubro, alcançando a maior bilheteria mundial em seu fim de semana de estreia. É atualmente o filme de maior bilheteria da história japonesa, e também o filme japonês de maior bilheteria globalmente.

Sinopse:

Japão, era Taisho. Tanjiro, um bondoso jovem que ganha a vida vendendo carvão, descobre que sua família foi massacrada por um demônio. E pra piorar, Nezuko, sua irmã mais nova e única sobrevivente, também foi transformada num demônio. Arrasado com esta sombria realidade, Tanjiro decide se tornar um matador de demônios para fazer sua irmã voltar a ser humana, e para matar o demônio que matou sua família. Um triste conto sobre dois irmãos, onde os destinos dos humanos e dos demônios se entrelaçam, começa agora. 

Mais sobre:

O mangá de Koyoharu Gotouge já inspirou um anime de televisão que estreou em abril de 2019. Os principais membros da equipe da série anime estão retornando para a sequência. A TOHO e a Aniplex estão lidando com a distribuição do filme. Haruo Sotozaki (Tales of Symphonia the Animation) dirigiu o anime na Ufotable (Kara no Kyoukai, Katsugeki: Touken Ranbu) também foi creditada pelos scripts. Akira Matsushima (Tales of Zestiria the X) foi o designer de personagens, com Miyuki SatouYouko Kajiyama e Mika Kikuchi servindo como designers de sub-personagens. Yuki Kajiura (Sword Art Online, Fate / Zero, Madoka Magica) e Gou Shiina (Tales of Zestiria the X, Juni Taisen: Zodiac War, God Eater) compuseram a música. Hikaru Kondo produziu a série.

Por fim, o mangá estreou na revista Weekly Shonen Jump em fevereiro de 2016. A série de mangás está inspirando um novo jogo para smartphone intitulado Kimetsu no Yaiba: Keppuu Kengeki Royale além de um jogo de ação separado para PlayStation 4, intitulado Kimetsu no Yaiba: Hinokami Keppuutan. Além disso, o mangá inspirou dois romances e uma peça de teatro.

Fonte: Aqui!

SUA OPINIÃO É IMPORTANTE. COMENTE AQUI!
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião
deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments