Diretor de Shingeki no Kyojin observa que a indústria de anime precisa de gerenciamento de qualidade O diretor comentou sobre os baixos salários também.

Ana
(Supervisora da redação)
@anapnf
Shingeki no Kyojin
©Shingeki no Kyojin

Shuuhei Yabuta, diretor de animação 3D em projetos como Shingeki no Kyojin (Attack on Titan), No Game No Life e diretor geral de Vinland Saga, publicou uma série de atualizações no Twitter observando que atualmente não existe nenhum “sistema de gestão de qualidade” que valide que um projeto de animação “cumpra uma série de requisitos mínimos para ser considerado de qualidade suficiente para ser transmitido na televisão e nas redes de distribuição“.

“Os canais de televisão ou qualquer outro serviço de distribuição não podem determinar a qualidade do título de anime. E os estúdios criativos desempenham um papel importante no apoio (motivador) aos criadores, mas mesmo isso não é o fator decisivo para determinar a qualidade do produto final. Mesmo numa indústria tão dinâmica que produz tantos títulos de anime todos os anos, infelizmente não existe um sistema para estabilizar a qualidade e nenhum modelo de negócio para investir em estúdios e criadores”.

“Se tropeço num episódio maravilhoso de anime hoje, creio que é porque o destino juntou criadores talentosos com uma paixão incondicional pelo que fazem. Eu não sou pessimista e não vou desistir. Só por precaução”, concluiu ele.

Um dos seus seguidores perguntou-lhe: “Se estivesse no comando, que mudanças faria ao modelo de negócio para evitar o esgotamento do pessoal e manter a qualidade? Talvez acabar completamente com os programas antes da janela de transmissão? Mudar a remuneração dos animadores para uma base horária ou salarial?”

Yabuta respondeu: “O problema fundamental é que a indústria não foi capaz de analisar minuciosamente como a qualidade do produto final afeta os resultados comerciais. Acredito que a probabilidade de alcançar o sucesso planejado (isto é, assegurar a qualidade do produto final desde a produção inicial), encorajará futuros projetos a receber mais propostas de investimento”.

Shuuhei Yabuta também respondeu a um seguidor que lhe perguntou sobre rumores de que os animadores estão sendo mal pagos no Japão: “Para responder claramente a esta pergunta, os criadores precisam de discutir mais. Será ‘recompensa proporcional ao trabalho’ ou ‘trabalho proporcional ao orçamento’? Não há dúvida de que não somos obrigados a trabalhar, mas também é verdade que não podemos renunciar à qualidade“. Neste último, Yabuta se refere que existe um dilema sobre se os salários são baixos porque a qualidade da animação em geral (se uma ou duas séries em cada temporada têm boa animação não faz diferença) é má, ou se a qualidade da animação em geral é má porque os salários são baixos.

Fonte:Aqui!

SUA OPINIÃO É IMPORTANTE. COMENTE AQUI!
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião
deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.