Shingeki no Kyojin – Editor comentou mais sobre as dificuldades do autor Ele comentou sobre as mudanças na história e o final

Ana
(Supervisora da redação)
@anapnf
Shingeki no Kyojin
©Shingeki no Kyojin

Em 9 de junho, o portal japonês Weekly Gendai publicou uma entrevista com o editor do mangá de Hajime Isayama, Shingeki no Kyojin, Shintaro Kawakubo. A entrevista é bastante extensa, no entanto, nos fóruns japoneses foram destacadas as respostas a duas perguntas sobre a visão de Isayama ao escrever a obra e suas dificuldades no processo.

A serialização de Shingeki no Kyojin durou onze anos e sete meses. Houve um momento na série em que Isayama-sensei encontrou dificuldades com base no seu ponto de vista?

Em termos de volumes, penso que especialmente entre os volumes 14 a 16 foram aqueles em que Isayama se encontrou em dificuldades, pois parece que não conseguia desenhar algo interessante por mais que se esforçasse. Até então, tinha sido uma história de humanos contra Titãs, mas agora se tornou uma história de humanos contra humanos. Era necessário para a história, mas tínhamos que ampliar nossos horizontes e continuar trabalhando, embora não conhecêssemos a política ou o funcionamento da sociedade, e eu pessoalmente não estava muito interessado nisso.
Depois que o último capítulo foi publicado, houve uma variedade de críticas e Isayama-san se sentiu mal com isso, então eu disse a ele novamente: “Você foi capaz de desenhar o que queria desenhar da maneira que queria, e eu não quero que ninguém te impeça de fazer isso ”.

Na quinta edição deste ano da Bessatsu Shonen Magazine lançada em 9 de abril, o capítulo final de Shingeki no Kyojin foi publicado e a série foi concluída. Naquele momento, como você se sentiu como editor e Isayama-san como escritor?

Lembro que houve muita controvérsia sobre o último capítulo e muitas críticas quando o massacre final foi confirmado. Claro, não havia intenção de confirmar o massacre na história e Isayama-san ficou perturbado com isso, mas eu disse a ele que ele havia realmente tomado uma boa decisão.
Comparado ao fato de que houve guerras reais onde muitas pessoas morreram, eu acho que é muito melhor ler “Shingeki no Kyojin” e pensar: “Este é um mangá pró-genocida.” É muito melhor ler uma história onde um genocídio realmente ocorre e não está escondido, pois o leitor pode perceber que é um ato hediondo. Portanto, mesmo que Isayama-san tenha confirmado que houve um genocídio e isso tenha levantado críticas, acho que é uma boa notícia, pois significa que os movimentos contra esse tipo de prática na vida real ainda estão ativos.

Fonte: Aqui!

SUA OPINIÃO É IMPORTANTE. COMENTE AQUI!
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião
deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments