Look Back, o novo one-shot do autor de Chainsaw Man, foi modificado após uma polêmica Leitores reclamaram de expressões inadequadas

Ana
(Supervisora da redação)
@anapnf
chainsaw man
©Look Back

A conta oficial do Twitter do serviço digital Shonen Jump Plus da Shueisha anunciou que o mangá Look Back do mesmo autor de Chainsaw Man, Tatsuki Fujimoto, foi modificado após sua publicação devido a comentários de leitores sobre “expressões inadequadas”. As mudanças foram feitas ‘pelo desejo de evitar retratar algo que pudesse estar relacionado à promoção de preconceito ou discriminação’.

No one-shot, um homem que afirma ouvir vozes e ter um ‘episódio paranóico’, entra em uma escola de arte com um machado, alegando que um aluno plagiou sua arte. Embora o evento continue ocorrendo na versão modificada, tanto as referências ao ‘episódio paranóico’ quanto a motivação para o plágio foram substituídas por um texto diferente.

Na versão japonesa, a frase “De acordo com seu depoimento, você ouviu vozes o insultando durante um episódio de paranóia” foi substituída por uma frase que dizia que você pretendia matar a primeira pessoa em quem pôs os olhos. As falas “Eles estão errados! É meu né?! A ideia foi minha primeiro! Você plagiou minha arte, certo?” foram substituídas por versos que indicavam que as criações do artista o olhavam por cima do ombro e zombavam dele.

Look Back
©Look Back
Look Back
©Look Back

Embora o mangá tenha sido bem recebido no Japão, acumulando mais de 1,2 milhão de visualizações no Shonen Jump Plus, alguns leitores notaram as semelhanças entre os eventos no mangá e o incidente do incêndio criminoso da Kyoto Animation, que ocorreu há dois anos, em 18 de julho. Também foram levantadas preocupações de que retratar alguém com esquizofrenia como um assassino em massa poderia estigmatizar a doença mental. O one-shot do autor do Chainsaw Man estreou no Shonen Jump Plus no Japão em 19 de julho.

Fonte:Aqui!

SUA OPINIÃO É IMPORTANTE. COMENTE AQUI!
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião
deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.