Preview – Garo: Vanishing Line Primeiras impressões de Vanishing Line!

Vitor Nascimento
(Podcaster)
@ifusic
Garo: Vanishing Line
© Mappa

Garo: Vanishing Line

Gênero: Ação

Direção: Seong-Hu Park

Estúdio: Mappa

Estreia: 7/10/17

Sinopse:

“A história do anime acontece na cidade chamada Russell City. Mesmo a cidade aparentando ser calma (isso sempre sendo celebrado), uma conspiração que ameaça agitar seu mundo foi iniciada. Um homem chamado Sword é o primeiro a perceber isso, e joga-se em uma guerra sombria para divulgar sua descoberta.”

 

Nesta temporada de animes de outubro de 2017, temos mais um anime para TV da franquia Garo. Trata-se de Garo: Vanishing Line. E logo em seu primeiro episódio, já é possível ver que a série tem potencial.

Antes do preview, é importante frisar que Garo, seja em série, filme ou em anime, nunca decepciona. A franquia começou como uma série de tokusatsu para TV. Porém, diferentemente da maioria dos tokusatsu, Garo é voltado para um público mais adulto, tratando de temas mais sombrios, e com cenas mais fortes e impactantes.

 

Garo: Vanishing Line
© Mappa

Vanishing Line é a terceira animação para TV da franquia, e já começa com estilo. O anime tem uma pegada bem old school, tanto no traço e character design, quanto na composição de cenário. Inclusive, enquanto assistia ao primeiro episódio, eu pensava comigo mesmo: Eu super consigo imaginar Vanishing Line passando no extinto canal Animax, ao lado de animes como Speed Grapher, Gantz e Burst Angel. Com certeza se fosse naquela época, Vanishing Line faria parte da programação. E de fato, a temática do anime, o protagonista badass, o cenário tecnológico e um tanto quanto distópico, os monstros da trama, tudo remete àqueles animes do começo e meados do anos 2000. Exceto pela qualidade de animação e pelo ritmo da obra, que obviamente vão de acordo com os padrões atuais.

 

Garo: Vanishing Line
© Mappa

A primeira cena já mostra que o anime terá foco em ação. Vemos Sword enfrentando Horrors, que são basicamente criaturas que nascem de emoções negativas dos seres humanos, e se alimentam de outras pessoas. As cenas de ação de Vanishing Line são incríveis! As lutas são intensas e agitadas, do tipo que não para por um segundo sequer. E é interessante isso, pois elas são feitas com planos longuíssimos de câmera, mas como a ação é dinâmica e a câmera em estilo Handycam, ou “na mão” (termo usado normalmente em cinema, mas acredito que seja possível usar aqui também), é possível manter um mesmo plano por um tempo. E as cenas de ação desse episódio vão ficando cada vez melhores com o passar do mesmo.

 

Garo: Vanishing Line
© Mappa

Logo após a introdução bombástica e estilosa, Sword termina sua luta contra o Horror e vai embora. Então vemos com mais detalhes o perfil do personagem, além de entendermos mais de sua personalidade. E caramba, que protagonista foda! A cena é incrível, Sword, volta para sua moto e tem uma mina esperando por ele, perguntando o que ele estava fazendo e porque demorou tanto. Basicamente, o cara parou o encontro pra ir acabar com um Horror ali rapidinho! Se isso não é a definição de badass, eu não sei o que é. Mas enfim, ele leva a moça em seu colo na moto, e a introdução do anime acaba.

 

Garo: Vanishing Line
© Mappa

Após a abertura, somos apresentados à Sophie, uma jovem sozinha e problemática, que está indo se encontrar com Moon Wizard, uma pessoa que realiza adivinhações. Sophie procura por uma pessoa, e está desesperada em encontrá-lo. Porém, isso na verdade era uma cilada, e ela acaba sendo atacada pelo cara, que na verdade era um Horror. Felizmente, Sword aparece e consegue salvar a garota, em outra cena de ação incrível.

Após uma acalmada nos acontecimentos, Sword fala para Sophie que ele a protegeria, pois essa é a função de um Cavaleiro Makai. Ambos então decidem bolar uma emboscada para Moon Wizard, pois Sword tinha certeza que o Horror iria atrás de Sophie novamente.

 

Garo: Vanishing Line
© Mappa

 

Então chegamos ao clímax do episódio. E, se até agora o anime não havia prendido o telespectador, esse último acontecimento com certeza vai. A cena de ação é incrível, a movimentação, a perseguição com moto, é tudo muito alucinante! Aqueles tipo de cena de ação que você fica sem respirar pra prestar atenção em tudo o que acontece. No final, Sword se transforma em Garo, com a ajuda de seu parceiro Zaruba (que é uma entidade recorrente da franquia Garo). E a cena encerra o anime, deixando uma ponta de curiosidade com Sword perguntando para o Horror sobre “Eldorado”. Sophie ouve a pergunta, e a palavra remete algo para a garota também. Acredito que a garota começará a ir atrás de Sword, por estar interessada na mesma informação que ele.

O anime tem uma trilha sonora empolgante e pesada, o que contribui e muito com a fluidez da obra. O tema do anime, assim como o da série tokusatsu original para TV de Garo, é cantado pelo super grupo Jam Project, composto apenas por lendas das anime songs. Entre eles Hironobu Kageyama, que é também o dublador de Zaruba. A direção aparentemente está boa, ao menos com base neste primeiro episódio, mesmo sendo o primeiro trabalho de Seong-Hu Park como diretor. O traço é bonito, detalhado e com aquele aspecto old style. A história do anime não avançou muito ainda, mas como já sabemos que a obra terá 24 episódios, podemos esperar um bom desenvolvimento de trama.

 

Garo: Vanishing Line
© Mappa

Expectativas:

Garo: Vanishing Line definitivamente está com altas expectativas. Talvez a história não passe muito do básico de heróis que se transformam enfrentando monstros que devoram humanos. Mas mesmo que não saia muito disso, o que acho difícil, é um anime empolgante, com cenas de ação de encher os olhos, um clima distópico e um tanto old school, personagens bem construídos e um protagonista sensacional. O anime terá muito a oferecer nos próximos meses, e com certeza vale uma conferida.

 

Nota: 5/5

 

SUA OPINIÃO É IMPORTANTE. COMENTE AQUI!
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião
deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.