PRIMEIRAS IMPRESSÕES – HANYOU NO YASHAHIME: SENGOKU OTOGIZOUSHI – NI NO SHOU As filhas de Sesshoumaru e de InuYasha estão de volta para novas aventuras no Japão Feudal e determinar o vencedor na batalha contra Kinimaru

dflobo
Hanyou no Yashahime: Sengoku Otogizoushi - Ni no Shou
©Sunrise / Hanyou no Yashahime: Sengoku Otogizoushi – Ni no Shou

Ficha técnica – Hanyou no Yashahime: Sengoku Otogizoushi – Ni no Shou

Gênero: Ação, Aventura, Comédia, Demônios, Fantasia, Histórico, Magia, Sobrenatural
Estúdio: Sunrise
Diretor: Satou, Teruo
Origem: Original
Data de estreia: 02 de outubro

A princípio preciso confessar que InuYasha marcou minha infância. Então quando soube da continuação focada nas filhas dele e de Sesshoumaru criou uma nostalgia para voltar as aventuras daquele Japão Feudal. A primeira temporada teve estreia no ano passado e acabou me desapontando pelo ritmo da história que dessa vez se baseia em conteúdos originais (diferente de InuYasha que tem um mangá), um vilão que realmente seja maldoso e com motivações mais dignas e principalmente no carisma dos novos personagens principais da série.

Enquanto hoje temos Towa e Setsuna que são as irmãs meio youkai filhas de Sesshoumaru criadas em eras diferentes e com visões distintas, sendo a primeira muito carinhosa, generosa e com espírito livre. Setsuna é o oposto, muito dedicada, séria, firme e demonstra poucas emoções. Moroha filha de InuYasha e Kagome, não conhece seus pais (não irei entrar nos detalhes dos motivos para você leitor que não assistiu a primeira parte) e vive atrás de dinheiro. Todas essas motivações acabam não implicando em algo que permita a você realmente se espelhar em algum deles.

Já em InuYasha o próprio protagonista começa a história com um jeito de enxergar o mundo. Com o tempo ele acaba passando a entender mais sobre as pessoas não somente por ele, mas graças a Kagome (no Brasil a tradução expressa Agome), Miroku, Sango, Kikyou e outros personagens que se apresentam em sua jornada. Há todo um conjunto de emoções sendo aprofundadas que nos fazem se apaixonar por eles. Em Yashahime: Princess Half-Demon: The Second Act isso é amenizado, com muitos contos bobos e muitas vezes sem sentido na ligação das protagonistas e seus coadjuvantes.

E falando rapidamente sobre o vilão, aqui temos Kirinmaru o lorde youkai. Este assume o lado vilanesco da série após Naraku e passa longe das maldades produzidas por ele. No decorrer da série ele está em seu domínio sem realizar nenhum feito, apenas assistindo e dando ordens a alguns subordinados, mas sem demonstrar um lado realmente maldoso. Naraku por outro lado a cada acontecimento transmitia suas ações propositais e a todo momento provocando InuYasha e seus colegas.

A parte técnica no geral mantém um trabalho ok, sem nada que realmente chame a atenção e nenhum ponto negativo a ser colocado em cheque. Uma animação feita de maneira simples para que não corra riscos, novamente produzida pelo estúdio Sunrise (Code Geass todas as temporadas e filmes, Cowboy Bebop, Gintama todas as temporadas e claro também responsável por InuYasha).

Hanyou no Yashahime: Sengoku Otogizoushi - Ni no Shou
©Sunrise / Hanyou no Yashahime: Sengoku Otogizoushi – Ni no Shou

Sinopse:

As filhas de Sesshoumaru e Inuyasha embarcam em uma história que transcende o tempo!

No Japão feudal, os gêmeos semi-demônios Towa e Setsuna são vistos separados um do outro durante um incêndio na floresta. Enquanto tenta desesperadamente encontrar sua irmã mais nova, Towa acaba encontrando um misterioso túnel que a transporta para o Japão atual, onde encontra o irmão de Kagome Higurashi, Sota, e o resto de sua família, que será responsável por criar Towa. Dez anos depois, o túnel que liga duas épocas diferentes reabre, permitindo que Towa se reúna com Setsuna, que agora se tornou um caçador de demônios trabalhando para Kohaku. No entanto, para surpresa de Towa, Setsuna parece ter perdido todas as memórias que ele tinha de sua irmã mais velha. Junto com Moroha, filha de InuYasha e Kagome, as três jovens viajam no tempo por duas épocas diferentes, a fim de recuperar um passado perdido.

Hanyou no Yashahime: Sengoku Otogizoushi - Ni no Shou
©Sunrise / Hanyou no Yashahime: Sengoku Otogizoushi – Ni no Shou

Expectativas:

De uma maneira geral a primeira parte do anime não me surpreendeu em muitos aspectos e trouxe reviravoltas pouco significativas. Como dito acima nem mesmo o vilão acaba por atrair atenção suficiente. Logo o porque de seguir com a série é simples. A curiosidade humana!!! Meu desejo é ver o que será dessa conclusão e poder dizer as seguintes palavras “porque estragar minha infância quando InuYasha já era tudo de bom” e “tantos animes que podem receber continuação (indireta para No Game No Life, Noragami, Rakudai Kishi no Cavalry) ou produzir novos e optam por algo desse nível”.

Nota: 2,5/5,0

SUA OPINIÃO É IMPORTANTE. COMENTE AQUI!
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião
deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.