Review: One-Punch Man – A Hero Nobody Knows (BETA) Um jogo de luta, no qual você só precisa de um soco, funciona?

André Nunes
One-Punch Man - A Hero Nobody Knows
© One-Punch Man – A Hero Nobody Knows

Ficha Técnica – One-Punch Man – A Hero Nobody Knows (BETA)

Desenvolvedora: Spike Chunsoft
Lançamento: 2019
Plataformas: PlayStation 4, Xbox one e PC
Gênero: Luta
Distribuição: Bandai Namco
O lançamento oficial de One-Punch Man – A Hero Nobody Knows se aproxima e a expectativa para trocar golpes com os loucos personagens da série só aumenta, mesmo que tudo o que você precise seja um soco. Mas felizmente, tive a chance de experimentar um pouco do que o jogo tem a oferecer no BETA disponibilizado pela Bandai Namco.
Por não se tratar de uma versão final, nem todas as funcionalidades estavam disponíveis para testarmos. Os modos de jogo que tivemos acesso foram o Tutorial, as Batalhas Locais contra a CPU e dois modos de Batalhas Livres contra outros jogadores online, um com o Saitama podendo ser invocado e outro sem essa possibilidade.
© One-Punch Man - A Hero Nobody Knows
© One-Punch Man – A Hero Nobody Knows

Gráfico:

Da mesma forma que outros jogos baseados em animes e mangás, os gráficos dos personagens adotam um visual cel shading, que trazem o clima da animação para as batalhas que vemos na tela. Todos muito bonitos para o estilo que o jogo se propõe, os contornos grossos chegam a lembrar o nanquim das páginas do mangá.

Os cenários que tivemos disponíveis no entanto não agregam ao visual das lutas, trazem texturas simples e arredores vazios e pouco impactantes. Claro, que com a chegada da versão final poderemos ser presenteados com cenários mais icônicos do anime que deixaram as arenas de batalha muito mais interessantes.

© One-Punch Man - A Hero Nobody Knows
© One-Punch Man – A Hero Nobody Knows

Gameplay:

Independente do personagem que você escolha GenosHellish BlizzardMumen Rider ou Speed-o’-Sound Sonic a lista de comandos é a mesma, variando os efeitos de acordo com cada personagem. Isso pode desagradar veteranos de jogos de luta que estão acostumados as inúmeras variações de um personagem para o outro, mas ao mesmo tempo torno o jogo incrivelmente acessível e intuitivo para quem quiser se aventurar em trocar alguns golpes. Com poucos comandos decorados você poderá fazer frente a jogadores mais experientes.

No entanto o verdadeiro destaque é o sistema de Hero Arrival. O jogo de utiliza um sistema de batalha em equipes de três contra três e caso escolha o Saitama para a equipe, os demais personagens devem sobreviver por tempo suficiente para que ele chegue, 270 segundos para ser exato. O tempo decai também de acordo como você golpeia ou é atingido, tornando a corrida contra o tempo mais dinâmica.

© One-Punch Man - A Hero Nobody Knows
© One-Punch Man – A Hero Nobody Knows

Considerações Finais:

One-Punch Man – A Hero Nobody Knows parece beber muito da fonte trazida pela Spike Chunsoft e pela Bandai Namco  em Jump Force. Embora não tenhamos acesso ao modo história ainda, podemos ver que também teremos um avatar-protagonista que vai ser jogável e vai poder participar das batalhas. Uma decisão que foi bastante criticada no jogo anterior, pois tirava foco dos grandes ícones da franquia, resta saber como isso vai ser apresentado nesta nova aventura.

Eu, particularmente, me diverti bastante pela quase uma hora que sentei em frente ao console experimentando os diferentes personagens e seus golpes especiais. O sistema de batalha intuitivo é um grande atrativo para reunir amigos em volta do console para uma partida casual, mas pode afastar quem está atrás de uma experiência mais desafiadora. Resta saber se o jogo vai nos trazer torneios ou desafios que permitam um desafio constante.

Nota: 7/10 – Bom jogo

PS: O jogo foi testado no PlayStation 4.

SUA OPINIÃO É IMPORTANTE. COMENTE AQUI!
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião
deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of