A polaridade de Berserk: realmente existe um herói e um vilão? Enquanto alguns consideram Griffith o grande vilão da história, Guts segue sendo o herói. Mas será?

Welerson Silva
(Redator do Blog)
@welcr_silva
© Berserk
© Berserk

Há um tempo, eu comentei pela primeira vez sobre Berserk aqui na United. Agora, após muitos volumes e grandes aventuras vividas ao lado de Guts e sua turma, surge um questionamento: existe um herói e um vilão em Berserk?

Kentaro Miura construiu uma narrativa incrivelmente complexa e interessante dos protagonistas. E claro, aqui damos total vazão ao espadachim negro. Guts é um personagem com tantas camadas, que por mais que possamos pensar que é fácil compreendê-lo, ainda há muito para se debruçar.

Ademais, Miura nunca deixou explícito quem é o certo ou o errado da história. Isso induz o próprio leitor a discernir os eventos conforme seu ponto de vista. Aliás, uma outra obra que faz isso muito bem é Shingeki no Kyojin. A história de vingança de Eren Yeager e todos os desdobramentos catastróficos não denota um real culpado.

Assim como em Attack on Titan, onde escolhemos em qual lado ofereceremos nossas forças, em Berserk não é diferente. Contudo, seria covardia não comentar que Miura trabalha bem mais a questão do desespero e da tragédias na vida de Guts do que na vida de Griffith.

Sendo assim, compramos mais rapidamente a história de vida de Guts, que parece ser a vítima desta fantasia perturbadora. Sobretudo, por mais que Griffith tenha cometido atrocidades, Guts não fica muito atrás. Se o critério é mortes e muito sangue, Guts talvez ultrapasse os limites de Griffith.

Há quem defenda Griffith?

O arco do Eclipse, na minha opinião, é um dos arcos mais pesados de Berserk. Senão o mais pesado de todos. E aqui eu não quero adentrar muito em detalhes para não dar spoilers. Entretanto, este texto é direcionado às pessoas que leram o mangá. Contudo, caso não tenha lido Berserk ainda, mesmo que não sejas o alvo de fato deste artigo, não irei frustrar sua futura experiência.

Porém, é provável que já tenha visto cenas deste arco espalhadas pela internet. Logo, torna-se quase certo que este evento seja de conhecimento de todos. As motivações de Griffith para tal ato neste arco parecem incertas. Ódio? Inveja? Vingança por algo? O fator motivação pode ser qualquer um desses.

© Berserk
© Berserk

E o desfecho dos sentimentos do Falcão Branco é, indubitavelmente, avassalador. Todavia, ainda existem pessoas que “defendem” o Griffith. A justificativa para tal é com base no futuro da história de Berserk. E, também, com base nos sonhos de Griffith. Aquilo que ele sempre almejou.

Reiterando, a história não retrata exatamente Griffith como um vilão. Tanto é que, mais para frente, muitas pessoas são devotas e agradecidas por ele existir. Ou seja, mais uma vez é uma questão de perspectiva. Claro que a grande maioria iria odiar e querer que Griffith morresse pelo que fez (eu), mas para respaldar essa ideia de que a história deixa em aberto o certo e o errado, basta ter ciência de que há pessoas que “defendem” o Griffith.

Guts também não é flor que se cheire

Como supracitado, Guts também não é um cavaleiro imaculado. Ele possui suas falhas. Mas, tudo tem uma origem. No arco da Era de Ouro entendemos melhor que é o Guts e o porquê dele ser como é. Esse arco é importante para consolidar os laços que Guts levará para o resto de sua vida.

Porém, Guts tem um ponto muito atrativo, que são os momentos tristes de sua vida, vide sua infância conturbada. Por meio desses inúmeros momentos, sentimos mais empatia por ele. Ainda mais pela forma como as coisas acontecem no arco do Eclipse e com quem acontece. Tudo o que ele faz parece ser justificável.

Berserk
© Berserk

Em síntese, Guts talvez, agora, nesses arcos finais da obra, possa ser uma pessoa melhor. E isto veio por meio de relações. Algo que ele abominou praticamente em toda sua vida. Mas no que tange aos primórdios de Berserk, Guts é o que poderíamos chamar de anti-herói.

A grande diferença está em como sentimos mais a dor de Guts do que a de Griffith. Por isso estamos mais inclinados a aceitar a “verdade” de Guts. E essa história aberta, sem um certo ou errado, é ruim? Muito pelo contrário. É algo maravilhoso, porque é por meio disto que debates como esses são possíveis.

Finalizando o texto sobre a polaridade de Berserk

Após tudo isto, acho que seria um tanto injusto não declarar para vocês meu posicionamento. Embora eu tenha expressado de forma sucinta acima. Mas, enfim, eu sou totalmente pró Guts. Por mim, Griffith poderia se explodir. Mas claro, este é o meu ponto de vista.

Esta escolha se baseia muito no que eu sou e no que eu acredito também. A forma como agiríamos em determinas situações, o que estaríamos dispostos a fazer e os métodos que julgamos necessários para a realização de tais coisas, tudo isso define a quem iremos apoiar nesta história.

Talvez eu esteja sendo um tanto quanto radical? Talvez. Mas essa é uma das formas que eu vejo para defendermos uma ideia. Afinal, por que iríamos compactuar com algo que nem ao menos passa pela nossa cabeça? Há uma base para tudo.

© Berserk
© Berserk

Mas e você, de que lado está? Do lado de Guts ou de Griffith? Deixe aí nos comentários.

SUA OPINIÃO É IMPORTANTE. COMENTE AQUI!
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião
deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments