Analisando a Dublagem: No Game No Life Zero Saiba os detalhes da dublagem do filme!

Gabriel Barcelos
(Redator do Blog)
No Game No Life Zero
©No Game No Life Zero

Para surpresas de muitos, na última sexta-feira (06/12) o filme No Game No Life Zero chegou ao catálogo da Netflix, e para surpresa maior ainda, com dublagem, no post de hoje falaremos sobre os detalhes dessa dublagem.

Sobre o Filme:

No Game No Life Zero
©No Game No Life Zero

Sinopse: ”Seis mil anos antes do Sora e da Shiro serem sequer um cintilar na história de Disboard, a guerra consumiu as terras, rasgando os céus, destruindo as estrelas e até mesmo ameaçando a extinção da raça humana. Em meio ao caos e destruição, um jovem chamado Riku lidera a humanidade diante ao amanhã que seu coração acredita. Um dia, nas ruínas de uma cidade Elf, ele se encontra com Schwi, uma feminina Ex-machina exilada, que pede a ele para ensiná-la o que significa ter um coração humano.”

Estúdio: Madhouse

Estreia: 15/07/2017

Sobre a Dublagem:

Estúdio: All Dubbing

Direção de Dublagem: Silvio Gonzalez e Rafael Schubert

Elenco de Dublagem:

  • Riku Dola: Yago Machado;
  • Schwi: Nica Nogueira;
  • Couronne Dola: Celina Beatriz;
  • Izuna Hatsuse: Adriana Albuquerque;
  • Sora: Bruno Carnevale;
  • Shiro: Jeane Marie;
  • Stephanie Dola: Jéssica Vieira;
  • Djibril: Dayse Richffer;
  • Tet: Mattheus Caliano.

Como vemos acima o elenco não é muito estrelado, com nomes menos conhecidos do mercado de dublagem carioca, mas isso nem sempre quer dizer que a dublagem não tenha qualidade, sempre há muitos talentos a serem descobertos por aí. Infelizmente esse não parece ser o caso, muitas escolhas infelizes foram feitas no filme, com vozes inexperientes ou que não casassem em nada com os personagens.

Começo com o trio principal exclusivo do filme, a Schwi da Nica Nogueira foi com certeza uma escalação muito equivocada, ao olhar para a personagem percebemos de cara que ela pede uma voz doce, suave, mas a impressão que ficou é uma adulta tentando sem sucesso forçar uma voz mais infantil, além dela tivemos a Celina Beatriz na Coronne que aparentou certa inexperiência com dublagem, não conseguindo entregar o que a personagem pedia, falhando muito na interpretação. Por fim temos o Yago Machado no protagonista Riku, neste caso, apesar de não ser a melhor escolha, consegue ter um desempenho bem ok, acredito que o personagem peça uma voz com tom mais maduro, portanto a crítica fica mais na escolha do que no dublador em si.

Falando dos personagens do anime, eles participam muito pouco do filme, portanto há vozes que não se pode cravar bom ou mal desempenho. Começando com as más escolhas, achei a escolha do Matheus Caliano no Tet não condizente com o personagem, tirando aquela riqueza na personalidade que vemos na versão japonesa, e como se trata de um personagem marcante, se perde muito nessa má escalação. A Izuna (Adriana Albuquerque), na Shiro (Jeane Marie) e na Djibril (Dayse Richffer) pelo pouco diálogo, foram vozes em que não se pode fazer uma avaliação segura, ainda que a primeira impressão não tenha sido muito boa.

Por fim, o Bruno Carnevale no Sora,  conseguiu entregar um trabalho de ok para bom, mas ficando aquele adendo de que se ouviu muito pouco para cravar algo. Finalizo com a sem sombra de dúvidas melhor escalação do filme, a Jéssica Vieira na Stephanie, essa por mais que o diálogo também não tenha sido grande, se percebe de cara que casou muito, que ficou dentro do que a personagem pede, uma ótima escalação ao menos.

Depois de falar do elenco, vamos à direção de dublagem, que foi feita por Silvio Gonzalez e Rafael Schubert, aparentemente os únicos (ou ao menos os mais utilizados) diretores da All Dubbing, e ainda que elogie a boa vontade deles para com os animes, o desempenho não tem sido dos melhores.

Escalações infelizes, ausência de grandes vozes no elenco e uma direção que peca em alguns aspectos são vistos com certa frequência, no filme destaco o erro na escalação de vozes diferentes no trio principal do filme (Riku, Schwi e Coronne) que na versão original são as mesmas do trio principal do anime (Sora, Shiro e Stephanie), inclusive se isso fosse feito de fato, tenho certeza que o desempenho seria melhor. Até poderiam não seguir isso, mas se tivessem no elenco grandes nomes para cobrir todos os personagens, o que não é o caso, então se seguissem o original, o desempenho seria ao menos um pouco melhor.

No Game No Life Zero
©No Game No Life Zero

Por fim tenho que dizer, fica aquele desapontamento com um trabalho feito no Rio que junto de SP são as principais praças de dublagem e que possuem muitas (muitas mesmo) vozes de qualidade, mas que não a vemos no filme, me pergunto o porque, pois por mais que critiquemos os trabalhos de estúdios Campineiros, Curitibanos e etc, ao menos nessas praças não temos as grandes vozes que temos no Rio e SP, o que deixa ainda mais negativo o mal desempenho observado no filme.

Com relação ao anime, NGNL juntamente com Danmachi e Akame ga Kill estiveram próximos de estrear também na Netflix, mas não veio a acontecer por algum motivo, já que havia ganhado data de estreia naquele momento, claro que ainda pode acontecer, quem sabe no próximo ano. Há indícios inclusive de que ambos tenham recebido dublagem no mesmo estúdio, o All Dubbing.

Fica então a expectativa de um melhor desempenho nesses trabalhos que virão!

SUA OPINIÃO É IMPORTANTE. COMENTE AQUI!
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião
deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

0 0 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
13 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
isseigentil
isseigentil
1 ano atrás

Gostei da dublagem, ficou muito legal e elogio o trabalho do estúdio e dos profissionais que trabalham lá. Para mim a dublagem brasileira não precisa imitar a japonesa, ela tem que dublar e usar as vozes com o jeito Br simples assim. O que amo na dublagem japonesa são as vozes infantis que as dubladoras fazem para as lolizinhas fofinhas, meninas de 30 anos dublam Lolis com perfeição. Já as brasileiras dublando lolis fica diferente e é normal, só não pode imitar, se não fica chato, tem que usar seu próprio dialeto, assim fica muito legal. Por fim parabéns ao estúdio e todos ganharam com essa dublagem, Estúdio, fãs da série que tem outra versão brasileira para assistir, e a comunidade otaku otome toda com mais experiências positivas com filmes e animes. Minha crítica é a crítica brasileira que é considerada a mais tóxica do mundo, só reclamam de tudo, não levantam qualidades em nada e não dão nota 10 para nenhum anime, assim fica muito idiota qualquer análise que se fizer sobre uma série que já começa com várias xingamentos gratuitos.

ReuGHD
ReuGHD
1 ano atrás

perfect, tirou as palavras da minha boca.
resumo: estou grato por ter mais dublagem BR entretanto, quero uma BOA dublagem não uma dublagem ok.
uma com personalidade, ótima carga emocional, bom timing cômico etc… enfim uma dublagem do nível japonês NÃO UMA IGUAL!, mais do mesmo nível de perfeição. simples não ?

Danilozz
Danilozz
10 meses atrás

acho meio hipócrita vocês falarem mal da dublagem do filme e colocam um anime coreano no anúncio do site com uma dublagem ainda pior ?

Guina
Guina
1 ano atrás

Pra min a dublagem foi ótima, tirando algumas parte que o dubladores acaba tirando um pouco da emoção da cena, o único dublador que achei que não combinou foi só Sora mesmo, mais ele teve de 3 á 5 fala ai passa batido. A dublagem foi boa se comparar com outras obras dublada, não é perfeita mais da pra assistir não fiquei com aquele pensamento “carai em japonês e melhor” ou” é melhor ver legendado mesmo” então que não assistiu vai la ver sem medo não melhor dublagem mais uma boa para um anime que não teve o hype que merecia.

Bruno Carnevale
Bruno Carnevale
1 ano atrás
Reply to  Guina

Eu sou o dublador do Sora e gostaria de saber em que eu errei para que eu possa melhorar ! Essa foi a primeira crítica que recebi de vários elogios mas acredito ser tão importante quanto! Eu dei o meu melhor e se eu não agradei a vocês eu gostaria de saber o motivo

Naty Aliarte
Naty Aliarte
1 ano atrás

Na minha opinião vc foi um dos melhores que se saiu no filme. O único problema foi o contato. Temos o costume de ouvir a voz do Sora de forma sonora, séria mas que tem um bom contraste infantil quando precisa, acredito que foi isso que ocorreu o estranhamento

Naty Aliarte
Naty Aliarte
1 ano atrás

Na minha opinião o único problema é a inexperiência de lidar com a dublagem em animações japonesas. Por isso ainda não foi possível encaixar o estilo de dublagem entre ambos… Eu chorei ouvindo a Schwi com voz de mulher adulta? Sim! Chorei com a voz da Voz do Tet retirar boa parte da personalidade dele? Sim! Mas se vc prestar atenção vc percebe que é um padrão de linguagem. O filme tem um ar mais maduro, porém os personagens tem características que diferem isso e é nisso que a dublagem falha. Eles não conseguem interpretar as características e as afeições porque isso é muito novo pra eles.
Como exemplo tem uma fandub que foi postada no YouTube do EP 3 de no game no life mas atualmente não se encontra mais, e foi sensacional. Todos os dubladores ficaram fiéis aos personagens tornando o anime agradável de assistir. Acredito que como foi uma dublagem de fã, eles já tem uma familiaridade com o estilo.

NANDÃO
NANDÃO
1 ano atrás

Eu pessoalmente gostei muito da dublagem, o fato de ñ ter vozes conhecidas, ñ me atrapalhou nem um pouquinho( aliás até prefiro assim).

Marcos Vinicius Damasceno
Marcos Vinicius Damasceno
1 ano atrás

Acompanho no game no life, tanto a novel quanto o anime, há muito tempo e fiquei feliz em poder assistir essa obra dublada. No entanto, acredito que tiveram pontos na dublagem que teriam tornado a adaptação melhor. Começando com o trio principal: concordo com a análise do Gabriel Barcelos, que a voz da Schwi poderia ser uma mais doce e suave, porém gostei muito da interpretação da Nica Nogueira que conseguiu diferenciar o modo robótico e o modo humano de falar da Schwi, sendo essa uma das características marcantes da personagem pra mim. A interpretação do Riku atendeu o que o personagem precisava e foi boa, porém senti falta do tom sério e ao mesmo tempo sarcástico da voz dele. A Corone me desagradou, pois não me passou aquela sensação brincalhona e ao mesmo tempo carinhosa que a personagem possui e é transmitido no original. Quanto as outras dublagens, apesar de terem bem menos tempo de tela me agradaram muito com exceção do Tet. Acredito que a personagem é realmente difícil de interpretar, pois é necessário equilibrar seu tom brincalhão de deus dos jogos, que transmite a empolgação de uma criança, com seu lado mais sério, que é quando somos lembrados de que o personagem é um “deus” e na minha opinião, não pude sentir essas características, que são presentes no original, e tornam o personagem tão rico. Fiquei triste também com escalação de dubladores diferentes entre o trio Riku, Schwi e Corone e Sora, Shiro e Steph. Já que essa é uma das características da obra que fazem o espectador refletir sobre as semelhanças e diferenças entre os personagens. No geral gostei e espero no futuro poder ver mais dessa série dublada.

Dayse Richffer
Dayse Richffer
1 ano atrás

Olá! Sou a dubladora da Jibril e gostaria muito de saber o que não ficou condizente com a interpretação para que eu possa aprimorar e deixar melhor não só pra personagem, como pra outras. Obrigada pela crítica construtiva! Por causa de vcs e da atenção que vocês tem, a tendência é o trabalho melhorar sempre 💜