Kono Oto Tomare! – Impressões Finais A maior surpresa da temporada tem nome e sobrenome

Maknara
(Redator do Blog)
@maknarasan
Kono Oto Tomare
©Kono Oto Tomare! – Impressões finais da primeira temporada

A grande surpresa da temporada fica por conta de Kono Oto Tomare!. O anime musical baseado no instrumento koto, não tinha grandes expectativas depositadas nele, exceto pelo sucesso relativo do mangá no Japão. A produção ficou por conta do estúdio Platinum Vision, que possui poucos trabalhos e nenhum deles de maior expressão. O diretor é o Mizuno Ryouma, sendo Kono Oto Tomare! seu primeiro trabalho. O único nome que se destacava na Staff é o de Hajime Takakuwa, diretor de som de Black CloverDiamond no AceKingdom, entre outros.

Apesar de nomes pouco expressivos, a Staff fez um excelente trabalho na adaptação de Kono Oto Tomare!. Quando digo excelente, não exagero no teor da palavra. Excelente é o adjetivo adequado para a adaptação.

A animação é bonita, mas o design de personagem é lindo

Animes do gênero não exigem animações de ponta, até porque o foco não está em cenas de ação. Para animes desse gênero tem um fator que eu julgo de extrema importância: o design de personagens.

O traço original do mangá de Kono Oto Tomare! é muito bonito e o estúdio conseguiu trazer essa beleza para o anime. Claro que alguns personagens são mais trabalhados do que outros, principalmente os protagonistas. O design do Chika Kudo, da Hiro Kurusu, e principalmente o da Isaki Kudou são lindos. Outros personagens também possuem designs bonitos e o estilo dos desenhos me agrada muito. Por mais que esse assunto seja uma questão de gosto – uns podem preferir um estilo de design ao outro -, mas mesmo que esse não seja o seu estilo preferido, creio que dificilmente irá te desagradar.

As cores utilizadas também chamam atenção. Mesmo em um anime que tem drama como sua maior característica, as cores seguem uma linha diferente, sendo na maiorias das vezes bem vivas e intensas.

Kono Oto Tomare
©Kono Oto Tomare! – Hiro Kurusu, vice-presidente do clube de koto.

A carga emocional colocada na trama tem o peso certo

Nem drama demais, nem felicidade de menos. Equilibrar os momentos de drama com momentos de felicidade e descontração em uma obra, não é uma tarefa das mais fáceis. Se a mão ficar mais pesada para um dos lados, o resultado final pode ficar comprometido. Isso não acontece em Kono Oto Tomare!

Se você leu a sinopse e viu os primeiros episódios, não poderia estar esperando menos do que cenas emocionalmente carregadas. Isso acontece, mas elas vêm acompanhadas de alívios cômicos e desfechos leves e sutis, sem exageros para nenhum dos lados. O diretor consegue passar toda a emoção dos personagens e do momento, sem que pareça algo forçado ou fora de ordem.

Nos momentos de clímax maiores, a ambientação é construída corretamente e os grandes momentos são realmente grandes na temporada.

Tudo isso é acompanhada de uma trilha sonora que não é fantástica, porém, é colocada precisamente nos momentos certos. A opção pela simplicidade na trilha sonora se mostrou um acerto, visto que o grande protagonista musical são os sons produzidos pelo koto. Kono Oto Tomare! mostra que não é necessário utilizar as músicas mais épicas de background. Basta utilizar as músicas certas na hora certa. O simples também funciona.

Kono Oto Tomare
©Kono Oto Tomare! – Chika Kudo

Falar de desenvolvimento de personagens é fácil para Kono Oto Tomare!

Eu costumo reclamar bastante sobre o desenvolvimento de personagens em várias obras atuais. Muitas vezes o foco está nos poderes, nos efeitos, no fan service, enquanto os personagens permanecem do mesmo jeito a obra toda. Não posso reclamar disso em Kono Oto Tomare!.

O maior exemplo disso acontece em poucos episódios com o protagonista Chika Kudo. Ele passa por uma verdadeira metamorfose nas suas atitudes, sem perder a essência do personagem. Essa mudança não acontece do nada, mas sim depois de fortes acontecimentos contínuos – e não jogados. As pessoas próximas de Chika contribuem para esse desenvolvimento e o anime constrói uma narrativa coesa em torno da sua história.

O mesmo acontece com Satowa Houzuki. A personagem sofre mudanças mais leves durante os episódios, mas continua evoluindo até o final. Ela parte de uma pessoa individualista para uma pessoa que valoriza o coletivo e as pessoas próximas. Essa mudança não é fácil de desenvolver, mas a história entrega os elementos necessários para isso e o diretor os utiliza bem.

Poderíamos citar vários outros personagens que são desenvolvidos durante a temporada, mas a lista ficaria extensa demais. Extensa, porque a obra faz questão de desenvolver os seus personagens pouco a pouco, independente do seu grau de importância dentro dela.

No assunto desenvolvimento de personagens, Kono Oto Tomare! dá um banho em muitos animes de peso.

Kono Oto Tomare
©Kono Oto Tomare! sabe como desenvolver os seus personagens

Não poderia esquecer dele, o koto.

Poucas pessoas conheciam sobre o koto – e eu me incluo nessa citação. O instrumento está entre os mais populares do Japão, entretanto, não tem muita popularidade no ocidente. O anime despertou meu interesse pelo koto e eu agradeço por ter sido apresentando ao seu belo som. Inclusive, se você quiser conhecer mais sobre o instrumento, acesse o artigo completo assim que terminar a leitura: KONO OTO TOMARE: A HISTÓRIA DO KOTO

Animes que causam esse tipo de impacto são incríveis, pois eles não te apresentam somente uma história. Eles te apresentam um item não tão conhecido de uma cultura e fazem com que você se interesse por ele. Uma obra que faz você adentrar no aspecto cultural, merece respeito.

O instrumento fica ainda mais presente nos momentos mais importantes do anime. Para ser mais específico, em 2 momentos da temporada, o koto se torna o grande protagonista e mostra a sua beleza. No mesmo embalo, a Staff entrega um nível de qualidade ainda maior nesses clímax e o resultado final é muito bonito e emocionante.

Com exceção do finalzinho do último episódio, que acaba sendo um pouco anticlimático, os fechamentos dos arco de Kono Oto Tomare! funcionam muito bem em todos os aspectos.

Kono Oto Tomare!
©Kono Oto Tomare! Chika em seu melhor momento da temporada.

Kono oto Tomare! foi dividido em 2 cours, então estará de volta em breve

A segunda parte da primeira temporada está confirmada para Outubro de 2019. O anime volta com mais 13 episódios a principio, concluindo a temporada.

A Staff e o estúdio serão os mesmos, então podemos esperar que o nível será no mínimo mantido – e se for mantido, já será o suficienteKono Oto Tomare! é sem dúvida a grande surpresa positiva da temporada.

Não gosto de comparar animes de gêneros diferentes, por isso não costumo definir qual foi o melhor ou pior anime da temporada. Mas quebrando um pouco essa regra, se Kimetsu no Yaiba (Demon Slayer) não fosse lançado nessa temporada de abril, Kono Oto Tomare! seria de longe o anime que mais me agradou.

Quando o assunto é nota de anime, raramente darei uma nota muito alta, pois muita coisa deve ser levada em consideração em uma avaliação e quanto mais próximo de 10, mais próximo o anime está da perfeição. Todavia, Kono Oto Tomare! receberá uma das notas mais altas que já dei para um anime nos últimos tempos – e olha que sou bem chato com isso.

Kono Oto Tomare
©Kono Oto Tomare! – Kiriyuu Ousuke

Nota do anime: 9

A escala de avaliações Maknara funciona da seguinte forma:

10 – Utopia
9 – Excelente
8 – Ótimo
7 –  Muito Bom
6 – Bom
5 – Mediano
4 – Abaixo da média
3 – Ruim
2 – Muito Ruim
1 – Era um anime?

E você, qual nota daria para a primeira parte da primeira temporada de Kono Oto Tomare? Deixe nos comentários!

SUA OPINIÃO É IMPORTANTE. COMENTE AQUI!
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião
deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of