Shuumatsu no Valkyrie: a guerra entre humanos e deuses pelo destino da humanidade Enquanto os deuses lutam pelo seu bel-prazer, os humanos lutam por sua existência na terra

Welerson Silva
(Redator do Blog)
@welcr_silva
Shuumatsu no Valkyrie/Tokuma Shoten Monthly Comic Zenon
© Shuumatsu no Valkyrie/Tokuma Shoten Monthly Comic Zenon

Conheci Shuumatsu no Valkyrie por meio de uma indicação de um de meus amigos. Inicialmente já havia achado a ideia dele muito interessante. Após lê-lo, gostei mais ainda de como as coisas acontecem. A temática de colocar deuses e humanos para lutarem entre si é muito convidativa. O mangá ainda está em desenvolvimento, então trate este texto como uma “primeiras impressões”. Mesmo porque eu ainda estou o acompanhando.

Resumindo, o que irei apresentar aqui será a premissa da obra e alguns pontos chamativos que fazem falar a pena dar uma chance para Shuumatsu no Valkyrie.

O início de tudo em Shuumatsu no Valkyrie

A história se inicia em meio a uma assembléia que está acontecendo entre todos os deuses espalhados pelo mundo. Naquela ocasião, estavam decidindo o destino da humanidade. A cada mil anos os deuses se reúnem para este evento. E dessa vez, o veredito é para que a raça humana seja exterminada da face da terra. O que motiva esta decisão é o fato dos deuses acreditarem que os humanos são pessoas tóxicas que só causam o mau para o mundo.

Vamos considerar a justificativa. Talvez eliminar a raça humana seja algo extremista, todavia, o fato dos humanos serem pessoas ruins, isso devemos admitir. Claro que nem todos são, mas essa parte negativista acaba influenciando negativamente na forma como o mundo é. Por este motivo, não havia mais necessidade em manter os humanos na terra, causando tantos problemas, quer seja para si mesmos, quer seja para o ecossistema universal.

Shuumatsu no Valkyrie/Tokuma Shoten Monthly Comic Zenon
© Shuumatsu no Valkyrie/Tokuma Shoten Monthly Comic Zenon

A interferência que deu uma chance à humanidade

Quando os deuses haviam entrado em acordo sobre o fim da humanidade, prestes a dar o veredito, surge uma valquíria (as valquírias, na mitologia nórdica, são dísir, deidades femininas menores que serviam Odin sob as ordens de Freya. O seu propósito era eleger os mais heróicos guerreiros mortos em batalha e conduzi-los ao salão dos mortos). A interferência desta mulher causou um enorme alvoroço em meio aos deuses, que questionaram seu abuso.

Quando ela surge, vem com a pergunta que todos nós estávamos fazendo enquanto os deuses simplesmente decidem acabar com a humanidade: “não darão chance para eles refutarem?” Após esta pergunta, o salão inteiro cai em gargalhada. Segundo os deuses, os humanos não poderiam fazer nada contra eles, não seriam páreos para divindades celestiais. E estavam corretos. Como meros humanos poderiam enfrentar grandes e poderosos deuses?

Shuumatsu no Valkyrie/Tokuma Shoten Monthly Comic Zenon
© Shuumatsu no Valkyrie/Tokuma Shoten Monthly Comic Zenon

Ouvindo isso, a valquíria foi mais esperta. Ela sabia que um simples discurso não seria o suficiente para convencê-los. Então ela profere uma frase que muitos pensam duas vezes antes de responder: “vocês vão amarelar?” Claramente é uma pergunta infantil, entretanto, que causa um efeito mais do que significativo para pessoas que possuem um ego desenfreado. E estamos falando de deuses, seres que amam ser venerados. Subestimar sua honra era inadmissível.

Sem hesitar desta vez, os deuses questionam de que maneira os humanos poderiam se posicionar por suas vidas, então a valquíria responde dizendo que a solução seria uma luta um contra um entre humanos e deuses. Se os deuses vencessem, eles poderiam fazer o que quisessem com a raça humana, entretanto, se os humanos saíssem vitoriosos, poderiam desfrutar de sua existência por mais mil anos na terra, até que outra assembléia fosse realizada. E assim começou o duelo.

Shuumatsu no Valkyrie/Tokuma Shoten Monthly Comic Zenon
© Shuumatsu no Valkyrie/Tokuma Shoten Monthly Comic Zenon

Os defensores do lado da humanidade

Esse é um dos pontos mais interessantes da história. Os deuses, em geral, seriam aqueles que todos nós conhecemos. Até aí, nada demais. O grande diferencial de Shuumatsu no Valkyrie está nos humanos que lutarão em nome da humanidade. Todos eles são personagens históricos da vida real. Se não estou equivocado, ao total são 13 humanos. Talvez valesse a pena comentar o nome de cada um aqui, entretanto, talvez seja mais emocionante descobrirem por vocês mesmos.

Minha única crítica em relação a este ponto é sobre os próprios personagens. Não é que não sejam pessoas que foram, de certo modo, proeminentes enquanto vivas. São pessoas que verdadeiramente marcaram a história da humanidade. Todavia, poderiam estar presentes pessoas mais conhecidas. Quando digo isso, me refiro a personagens que dificilmente alguém no mundo não saberia reconhecer. Por mais que tenham alguns, poderiam ser bem mais.

Shuumatsu no Valkyrie/Tokuma Shoten Monthly Comic Zenon
© Shuumatsu no Valkyrie/Tokuma Shoten Monthly Comic Zenon

Porém, quero comentar pelo menos um aqui neste texto, a fim de fazer com que vocês possam entender o quão legal é a história de Shuumatsu no Valkyrie. E este personagem é Adão, o primogênito da humanidade. Cada personagem tem uma entrada graciosa, com uma apresentação dos feitos dele enquanto vivo. A forma como Adão foi introduzido foi simplesmente arrepiante, quase como preparando o palco para algo maior que estava prestes a acontecer.

E para enfrentar Adão, no lado dos deuses, não poderia ser outro senão o próprio Zeus. Cada batalha envolve o leitor de uma forma incrível, mostrando o potencial tanto dos humanos como dos deuses, com golpes e habilidade excepcionais. E com Adão e Zeus não é diferente. Além da luta ser norteada por grandes movimentos, o peso histórico dos personagens contribuí de forma colossal para todo o desenrolar da narrativa. Nesses termos, Shuumatsu no Valkyrie é algo que merece ser visto.

Os traços de Shuumatsu no Valkyrie

O mangá possui um traçado bastante incomum, principalmente nos deuses. Além de serem insólitos, também há uma grande expressividade em determinados momentos, sendo mais perceptíveis nas feições dos personagens. Em alguns vários momentos também são bastante agressivos os traços. Esse estilo de desenho é algo inerente à história, então logo irá se acostumar com eles. Sobretudo, há também cenas pesadas, momentos onde vísceras voam por todo o lado. É um mangá violento, afinal

Gostou do texto? Deixe seu comentário, vamos discutir sobre.

SUA OPINIÃO É IMPORTANTE. COMENTE AQUI!
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião
deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

2
Deixe um comentário

avatar
3 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
2 Comment authors
AnduinGabriel Sodré Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Gabriel Sodré
Visitante
Gabriel Sodré

Pela explicação.. Achei a proposta bem perto do que é na Saga FATE. Mas pela explicação, o enredo é mais claro. Obrigado pela indicação, super me interessei. Com certeza vou dar um lida.

Anduin
Visitante
Anduin

excelente post, sou uma grande fã de shuumatsu, principalmente por fugir de vários clichês principalmente nas lutas. recomendo essa maravilhosa obra, mas tenho que avisar para não se apegarem demais aos personagens.

trackback

[…] Fonte […]