Akio Otsuka considera que há muitos dubladores na indústria "A melhor coisa a fazer é ficar longe desta indústria."

Ana
(Supervisora da redação)
@anapnf
Dubladores
© Anime

Um artigo publicado em dezembro de 2019 pelo portal japonês Toyo Keizai, tornou-se viral novamente em fóruns de comentários no Japão porque incluiu uma entrevista com o dublador Akio Otsuka (Rider in Fate/Zero, Jirou Souzousuke Shunsui Kyouraku em Bleach), que comentou sobre o grande número de dubladores que não conseguem empregos estáveis ​​dentro da indústria, que na época considerava ‘dez mil pessoas se candidatando a trezentas vagas’.

“Por que existem tantos ‘dubladores desempregados’ na indústria? É simples: há muitos “dubladores”. Os “trabalhos de voz” são muito escassos em relação ao número de pessoas atualmente qualificadas para se autodenominarem dubladores. A história da ‘dublagem’ no Japão mostra que, a partir de 1960, muitos filmes de faroeste apelidados e dramas estrangeiros começaram a ser produzidos, e um grande número de ‘atores atuando apenas com voz’ estavam em demanda. O termo ‘dublador/seiyu’ existe desde a década de 1940, mas antes da guerra seu principal campo de atividade era o drama de rádio, que era um pouco diferente da imagem que agora associamos a ‘dubladores’.”

“Como analogia, nos anos 60, era como se houvesse apenas 50 cadeiras e não mais de 50 atores sentados nelas. Não havia como preenchê-los, pois os distribuidores estavam puxando novos atores de teatro e de televisão sem sucesso. Isso foi em uma época em que ‘a dublagem era vista como o produto de atores malsucedidos’. E o que acontece agora, que sempre há mais de 10.000 pessoas competindo por 300 cadeiras? Certamente também acredito que há mais oportunidades para dubladores do que há 30 anos. Desde o início dos anos 2000, o número de projetos de animação produzidos aumentou dramaticamente, e jogos totalmente dublados não são mais incomuns.”

“Mas mesmo assim. O número de cadeiras aumentou, mas não o suficiente para alimentar 10.000 dubladores. Há um jogo contínuo de derramamento de sangue por trabalhos excepcionalmente competitivos. Em termos extremos, quando você se torna um dublador, o trabalho que você consegue não é bom o suficiente. Então é claro que não há sustento. É um fato inegável que muitos dubladores trabalham meio período, como muitas vezes se comenta.”

“Acontece que eu mesmo continuei trabalhando meio período na engenharia civil até os quase 30 anos. Felizmente, no meu caso consegui terminar esse período mais cedo, mas não é incomum pessoas que não se tornam ‘dubladores em tempo integral’ mesmo na faixa dos 30 e 40 anos (claro, há aqueles que ‘não fazem dublagem por vontade própria). É perigoso escolher facilmente um negócio tão pouco lucrativo como uma futura “profissão”. Deve parar imediatamente. A menos que sua família seja rica e  possa comer o quanto quiser, ou se você não pode ser dublador mas pode assumir o negócio da família, ou se está sempre disposta a se tornar a esposa de um trabalhador bem pago. A melhor coisa a fazer é ficar longe desta indústria.”

Fonte: Aqui!

SUA OPINIÃO É IMPORTANTE. COMENTE AQUI!
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião
deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.