DOWNLOAD GRÁTIS para ANDROID aqui: http://bit.ly/2O4Wx2c

DOWNLOAD GRÁTIS para ANDROID aqui: http://bit.ly/2O4Wx2c

Estúdios de animação perderam dinheiro em 2018 A pesquisa foi feita por uma empresa financeira japonesa

Ana Paula
(redatora de noticias)
Estúdios de animação
©Estúdios de animação

A empresa de pesquisa financeira japonesa, Teikoku Databank, publicou uma pesquisa da indústria de produção de anime na quarta-feira passada revelando que 30,4% dos estúdios de animação estavam no vermelho nos seus lucros no ano de 2018.

A pesquisa também revelou que 23,2% das empresas viram reduções nas suas receitas e 34,1% das empresas aumentaram as mesmas, a primeira queda nesse percentual em dois anos. Entre os estúdios principais ou subcontratados importantes, 35,6% relataram um aumento. Esses estúdios tiveram uma receita média de 1,663 bilhões de ienes (cerca de 15 milhões de dólares). Entre os estúdios especializados, 54,7% relataram uma queda.

A receita total das empresas de produção de anime em 2018 foi de um recorde de 213,173 bilhões de ienes (1,96 bilhões de dólares). Este foi o oitavo ano consecutivo desde 2011 em que as empresas estabeleceram um novo recorde no total de receitas. O aumento da receita total se deu às principais empresas produtoras, assegurando uma quantidade adequada de produção e continuando a melhorar o volume de produção, apesar da escassez de recursos humanos e altos custos de terceirização no setor como um todo.

Sobre a pesquisa:

Teikoku Databank reuniu dados de 256 empresas de produção de anime. Cerca de 90% das empresas estão localizadas em Tóquio. 32,4% têm cinco ou menos funcionários em 2019 e 34,0% têm de 6 a 20 funcionários. 60,1% das empresas são pequenas empresas com receita inferior a 300 milhões de ienes (cerca de 2,8 milhões de dólares) em 2019.

A receita média por estúdio em 2018 foi de 843 milhões de ienes (cerca de 7,8 milhões de dólares), um aumento de 8,1% em relação ao ano anterior. Foi a primeira vez desde 2006-07 que a receita média aumentou por dois anos consecutivos. A média atingiu o pico em 2007 com 992 milhões de ienes (cerca de 9,2 milhões de dólares). A média estava em declínio desde então, devido ao aumento de empresas iniciantes e à terceirização da produção de anime para outras partes da Ásia.

Teikoku Databank ainda observou que seis das empresas estudadas entraram em falência em 2018 e mais cinco cessaram as operações ou foram dissolvidas. As falências foram atribuídas a menores preços unitários dos contratos e custos de mão-de-obra devido à escassez de recursos humanos, aumento dos custos de pagamento aos subcontratados e instâncias comuns de fluxo de caixa limitado.

Fonte:Aqui!

SUA OPINIÃO É IMPORTANTE. COMENTE AQUI!
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião
deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of