Mães reclamaram das ‘expressões de sexualidade’ nos animes Outras apoiaram expô-las ao sexo de maneira saudável

Ana
(Supervisora da redação)
@anapnf
Tsuujou Kougeki ga Zentai Kougeki de Ni-kai Kougeki no Okaasan wa Suki Desu ka?
©Tsuujou Kougeki ga Zentai Kougeki de Ni-kai Kougeki no Okaasan wa Suki Desu ka?

O jornal Chunichi Shimbun no Japão publicou uma coluna onde diferentes mães comentavam sobre as expressões de sexualidade em mangás e anime que podiam ser vistas por menores (especificamente, crianças), que seriam suscetíveis a considerar esses ‘comportamentos inadequados’ como ‘normais’.

“‘Estou preocupada com o conteúdo sexualmente sugestivo da série de anime que o meu aluno do segundo ano vê. Um menino toca o peito de uma menina e sua calcinha fica visível. Há também uma garota em ‘Kimetsu no Yaiba’ que enfatiza seus seios, e estou preocupada que as pessoas não estejam se importando. Eu me pergunto se alguém poderia expor essa situação’, escreveu uma mulher de 36 anos da cidade de Gifu, no Japão’.”

“‘Estou preocupada com o impacto da expressão sexual em séries de anime e mangá nas crianças.’ Na enquete publicada em 19 de novembro, muitos comentários simpáticos e conselhos foram recebidos dos leitores, como ‘a ênfase na sexualidade é nojenta’ e ‘por que você não faz expressões que podem ser vistas no mundo real?’ ‘Séries onde você pode ver as roupas íntimas das meninas e às vezes elas tocam acidentalmente nos seios…’ “

“Uma mulher da cidade de Gifu que pediu conselho disse: ‘Fico preocupada que as pessoas pensem que é normal falar levianamente sobre mulheres.’ Uma mulher de 40 anos de Toyohashi, Aichi, simpatiza: ‘Eu penso o mesmo.’Ela tem uma filha na segunda série e um filho no ensino fundamental, e cada vez que assiste séries de anime ou comerciais infantis que enfatizam o sexo mais do que o necessário, como o tamanho dos seios ou roupas, ela se pergunta: “Para quem é isso? Sinto-me ofendida”.

“O uso generalizado de smartphones pode levar à expressão sexual involuntária sem que os pais saibam. “Tenho certeza de que muitos pais pensam da mesma forma. É frustrante”, diz a mulher. Uma mulher de 47 anos da cidade de Gifu sugeriu que as pessoas deveriam saber que histórias e realidade são duas coisas diferentes. ‘Devo constantemente lembrar meus filhos de não tocar, olhar ou expor as áreas íntimas das mulheres (seios, quadris, órgãos genitais).’ Se você se deparar com esse tipo de expressão, leve-as ao mundo real e pergunte-se: ‘Como você se sentiria se alguém tocasse seu corpo sem permissão?’ As crianças são incapazes de fazer essa pergunta a si mesmas sem a ajuda dos pais. Se virem no anime, vão pensar que é ‘normal’ no mundo real.'”

“Por outro lado, uma mulher de 42 anos de Nagoya disse: “É natural que as crianças da escola primária tenham interesse em sexo. Não dá para tirar do mangá e do anime”, comenta. ‘Sexo é a fonte da vida e do nascimento. É melhor ser franco sobre isso, em vez de as crianças terem que descobrir por outros meios’, disse a mulher, garantindo que costuma falar sobre sexualidade com sua filha na primeira série do ensino médio e seu filho na sexta série do ensino fundamental. “Tenho conversas sobre sexualidade com meus filhos e conto a eles quais comportamentos não são aceitos pela sociedade. A sexualidade é o que torna as pessoas atraentes, expô-las a vários tipos de expressões vai ajudá-las a ter poder de decisão”.

Fonte:Aqui!

SUA OPINIÃO É IMPORTANTE. COMENTE AQUI!
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião
deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.