Netflix convida ‘trabalhadores sensíveis’ a deixar a empresa Um especial gerou desconforto nos funcionários da empresa

Ana
(Supervisora da redação)
@anapnf
Netflix
© Tamako Market

À luz da dissensão interna provocada por produções como o polêmico especial de stand-up de Dave Chappelle, a Netflix emitiu um memorando para seus funcionários descontentes, enfatizando que a gigante do streaming valoriza a ‘expressão artística’ de seus criadores de conteúdo acima do pessoal, pensamentos, crenças e estilos de vida de cada funcionário. E qualquer trabalhador que não goste pode se sentir ‘livre para sair‘.

‘Como funcionários, apoiamos o princípio de que a Netflix oferece uma diversidade de histórias, mesmo que encontremos alguns títulos contrários aos nossos valores pessoais’, diz o memorando, intitulado Cultura Netflix – Lutando pela Excelência‘. ‘Dependendo do seu papel, você pode ter que trabalhar em títulos que considera prejudiciais‘, continuou o comunicado. ‘Se você achar difícil oferecer suporte à nossa variedade de conteúdo, a Netflix pode não ser o melhor lugar para você.’ O memorando, enviado esta semana, segue os protestos contínuos da equipe sobre as insinuações de Chappelle sobre pessoas transgênero no especial da Netflix ‘The Closer’, que estreou na plataforma digital em outubro.

Durante a hora de diversão, Chappelle, 48 anos, fez uma série de piadas sobre os genitais de mulheres trans, insistiu que “gênero é um fato” e considerou a comunidade LGBTQ+sensível demais”. Logo após a estreia da série, os funcionários da Netflix fizeram uma paralisação para demonstrar sua desaprovação coletiva às provocações do comediante. Mas o tumulto não convenceu o CEO da Netflix, Ted Sarandos, que manteve seu apoio a Chappelle e continuou a transmitir o especial.

E como um aviso para as engrenagens descontentes restantes, o memorando recém distribuído da empresa ressaltou seu compromisso de priorizar a expressão artística. ‘Entreter o mundo é uma oportunidade incrível e também um desafio, porque os espectadores têm gostos e pontos de vista muito diferentes’, dizia a longa proclamação. “É por isso que oferecemos uma grande variedade de programas de TV e filmes, alguns dos quais podem ser provocativos. Para ajudar os membros a tomar decisões informadas sobre o que assistir, oferecemos classificações fáceis de usar, avisos de conteúdo e controles dos pais.”

E embora a gigante do streaming tenha reconhecido que seu conteúdo pode ser problemático para alguns espectadores, é inflexível que não silenciará as vozes de seus artistas. “Nem todo mundo vai gostar – ou concordar com – tudo em nosso serviço”, mencionou a plataforma. “Embora cada título seja diferente, nós os abordamos com base no mesmo conjunto de princípios: apoiamos a expressão artística dos criadores com quem escolhemos trabalhar; programamos para diversos públicos e gostos; e deixamos os espectadores decidirem o que é apropriado para eles, em vez de a Netflix censurar artistas ou vozes específicas.’

Fonte: Aqui!

SUA OPINIÃO É IMPORTANTE. COMENTE AQUI!
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião
deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.