Talibã proíbe TikTok e PUBG no Afeganistão A última proibição era necessária para 'evitar que a geração mais jovem fosse enganada'

Ana
(Supervisora da redação)
@anapnf
tiktok
©anime

O Talibã ordenou a proibição do aplicativo de compartilhamento de vídeos TikTok e do jogo multiplayer online PUBG, insistindo que eles estão levando a juventude afegã a ‘desviar’. O grupo militante disse que também proibiria os canais de TV de transmitirem o que considera ‘material imoral‘.

Essa medida ocorre após as recentes proibições de músicas, filmes e novelas. O Talibã prometeu uma abordagem mais branda ao governo quando assumiu o poder no ano passado, mas restringiu cada vez mais as liberdades, especialmente a das mulheres. O grupo ficou conhecido por sua versão dura do regime islâmico que caracterizou sua primeira fase no governo entre 1996 e 2001.

O porta-voz do Taleban, Inamullah Samangani, disse que a última proibição era necessária para ‘evitar que a geração mais jovem fosse enganada‘. Mas não está claro quando a proibição entrará em vigor ou por quanto tempo. É a primeira vez que o grupo baniu um aplicativo desde que chegou ao poder em agosto passado.

O TikTok e o PUBG tornaram-se mais proeminentes entre os jovens afegãos nos últimos meses porque muitas outras formas de entretenimento foram proibidas, diz Hameed Shuja, editor da BBC Afghan Service. O TikTok, em particular, tem sido popular entre os jovens que gostam de gravar videoclipes curtos e bem-humorados e publicá-los na plataforma, diz ele.

PUBG, que é a abreviação de PlayerUnknown’s Battlegrounds, é um jogo de tiro online criado por um desenvolvedor sul-coreano que também tem sido bastante popular. Uma tentativa  do governo anterior de proibir o PUBG terminou sem sucesso. O número de usuários de Internet no Afeganistão cresceu rapidamente nos últimos anos, juntamente com sua população jovem, com cerca de nove milhões de usuários hoje.

Fonte: Aqui!

SUA OPINIÃO É IMPORTANTE. COMENTE AQUI!
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião
deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.