Tokyo Ghoul – Fãs pedem remake pelo estúdio MAPPA ou Ufotable Será que os estúdios aceitariam?

Ana
(Supervisora da redação)
@anapnf
Tokyo Ghoul
©Tokyo Ghoul

Em 16 de fevereiro, a franquia animada Tokyo Ghoul atingiu as tendências do Twitter em vários países, quando os fãs começaram a propor em massa uma nova adaptação para anime do popular mangá de Sui Ishida. “Se HUNTER x HUNTER poderia ter um remake, por que Tokyo Ghoul não poderia?” escreveu o post que aparentemente começou tudo.

Essa tendência de solicitar um remake levou os dois estúdios usuais: Ufotable e MAPPA, a serem escolhidos pelos comitês de produção para realizar tal trabalho, chegando até a criar uma petição no CHANGE.ORG para que este o tomasse.

Por outro lado, a infame adaptação em anime do mangá Tokyo Ghoul de Sui Ishida durou um total de quatro temporadas que acumulou um total de quarenta e oito episódios. No entanto, a obra original teve um total de vinte e oito volumes de compilação, ou seja, a matemática indica que foram cobertos 1,7 volumes por episódio, embora a realidade não fosse assim devido ao conteúdo original adicionado.

A transmissão de Tokyo Ghoul: Root A mudou completamente a história original para pior. Tanto o primeiro mangá quanto a segunda temporada terminam com o CCG atacando Anteiku, mas eles seguem caminhos muito diferentes. Além de mudar o combate final que foi o foco de vários capítulos do mangá, o final da segunda temporada viu Hideyoshi Nagachika (Hide) morrer nos braços de Kaneki.

No entanto, a maior diferença de enredo foi que Kaneki se juntou à organização ghoul Aogiri em Tokyo Ghoul: Root A. No mangá, Kaneki formou seu próprio grupo de ghouls para proteger seus amigos depois de ser torturado por Yamori. O grupo de Kaneki atacou a Aogiri, o restaurante ghoul e o CCG, então a maior parte da segunda temporada foi uma história completamente original.

Todas as três temporadas do anime foram baseadas em roteiros escritos por Chuji Mikasano no Studio Pierrot, mas o diretor Shuhei Morita foi responsável pela segunda temporada de Tokyo Ghoul (Shuhei foi substituído pelo diretor Odahiro Watanabe na terceira temporada). Blueberry respondeu a algumas perguntas em tópicos do Reddit, revelando alguns dos problemas por trás da produção da infame segunda temporada:

“Para completar o objetivo de Tokyo Ghoul: Root A de Kaneki se juntar ao Aogiri, precisávamos fazer algumas mudanças. Ishida-sensei também me incentivou a mudar as coisas e seguir um caminho diferente, que é de onde veio grande parte do anime. Tínhamos uma enorme bolha de ideias, mas para não afetar a história do mangá original, parecia que aqueles acima de mim estavam cortando essas ideias. Dei o meu melhor e, honestamente, não me arrependo do espaço de movimento que me foi permitido”, comentou na altura.

Ishida-san sugeriu que a primeira temporada se concentraria no Kaneki de cabelos pretos, enquanto a segunda se concentraria no Kaneki de cabelos brancos”‘, explicou Shuhei. “Então precisávamos daquela experiência traumática de tortura para conectar as duas temporadas e desenvolver o personagem.” O problema secundário era que Ishida não havia terminado de escrever o final do mangá Tokyo Ghoul quando a segunda temporada estava sendo criada. O mangaká deu ao diretor ideias sobre como a segunda temporada deveria terminar, mas afirmou que o criador do mangá “queria especificamente que criássemos algo original para a segunda temporada, e por isso está se movendo em uma direção diferente.”

Fonte: Aqui!

SUA OPINIÃO É IMPORTANTE. COMENTE AQUI!
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião
deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.