Japão discute retirada de censura em conteúdo adulto Nada é garantido e a luta será grande para retirar os mosaicos

Ana
(Supervisora da redação)
@anapnf
Japão
© Hentai

No Japão, por lei, conteúdo adulto deve ser censurado, normalmente com mosaicos nas partes íntimas, isso inclui fotos, filmes, animes, mangás hentais etc. Essa lei de censura para conteúdo pornográfico está sob revisão pelos políticos japoneses, e pode ser mudada.

Isso afetará personagens 2D que não existem e atores de conteúdo pornográfico, porém conteúdo real envolvendo menores de idade e aqueles que não derem seu consentimento deverão manter a censura.

Os políticos que desejam alterar o Código Penal 175 estão atualmente discutindo suas opções com a polícia e outras partes. Embora isso pareça uma grande vitória para aqueles que querem ver pixels e mosaicos removidos do pornô e hentai japoneses, essa pode ser uma batalha difícil.

Provavelmente a primeira voz a se manifestar contra a abolição da censura virá da PTA (Associação de Pais e Professores) já que, dificilmente, pais irão apoiar para que apareça uma vagina 2D sem censura em hentais, principalmente aqueles com shotas e lolis.

Para os políticos isso pode ser visto como um suporte aos pervertidos que querem pornografia infantil sem censura.

Enquanto nos Estados Unidos a liberdade de expressão é algo grande, no Japão suprimir sua expressão faz parte da cultura.

E mesmo que a lei seja mudada, nada garante que as empresas irão realmente lançar pornografia sem censura.

As 3 maiores distribuidoras de hentai no Japão (DMM, Melonbooks e Toranoana), possuem negócios “limpos” e parent companies. Uma “carta de protesto” ou discussões na mídia social, podem assustar os acionistas e membros do conselho e influenciar no lançamento de hentai sem censura.

Caso aconteça a liberação da censura os pais ainda poderão usar um aplicativo controle dos pais para controlar.

Fonte: Aqui!

SUA OPINIÃO É IMPORTANTE. COMENTE AQUI!
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião
deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.