Nova pesquisa levanta dados sobre pirataria de Animes e Mangás Aparentemente 50% dos otakus japoneses são a favor do bloqueio de sites de pirataria de animes e mangás para o ocidente.

Vitor Nascimento
(Redator de Notícias)
@ifusic
gabriel dropout satania
©Gabriel Dropout

A discussão sobre o governo japonês possivelmente aprovar medidas que vão contra o streaming ilegal de animes e mangás para  ocidente ainda continua quente. O site NicoNico Douga de streaming de animes fez uma pesquisa com seus usuários sobre a pirataria para o ocidente. Um curto questionário foi feito com a participação de mais de 89.000 usuários da plataforma. Os resultados da pesquisa foram divulgados no mesmo dia.

“Você é a favor ou contra bloquear sites que infringem as leis de copyright de animes e mangás?”

A primeira pergunta foi direto ao ponto. O objetivo era saber quantos usuários seriam a favor de bloquear site do ocidente que quebram as regras de copyright no Japão para levar os animes e mangás ao exterior. 52.7% dos usuários responderam que são a favor de bloquear estes sites; 19% foram contra e 28.2% dos usuários ficaram em cima do muro, sem declarar uma posição exata.

A segunda pergunta foi: “Você é a favor ou contra o governo japonês derrubar estes sites mesmo que as leis e medidas não tenham sido completamente formadas, como numa ação emergencial?” 47.8% dos usuários responderam a favor do ato; 18.2% foram contra e 34% não declararam posição exata.

A terceira e última pergunta foi: “Você acha que os provedores de internet (servidores) deveriam cooperar para bloquear o acesso a sites piratas?” 55% disse que pensam que sim, eles devem ajudar a derrubar os sites. 15.3% dos usuários disseram que pensam que não. Por fim, 29.7% dos usuários ficaram indecisos.

Considerações finais

A questão ainda é um tópico muito ativo e polêmico. Durante 2017 e esse começo de ano já vimos a China apoiar a censura de jogos e animes/mangás de determinados gêneros. Também vimos algumas situações onde diversos países se recusaram a classificar algum jogo específico e assim embargar a venda de mídias físicas (como foi o caso de GalGun 2). Agora a questão se tornou ainda mais complexa com os termos rígidos que tratam as questões de copyright e direitos autorais no Japão. Provavelmente ainda veremos muitos choques entre a indústria de conteúdo otaku, os fãs, as scanlations e outras formas de streaming pirata.

Fonte (+18): Aqui!

SUA OPINIÃO É IMPORTANTE. COMENTE AQUI!
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião
deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.