Aura: Maryuuin Kouga Saigo No Tatakai – Viva em Seu Próprio Mundo Porque apesar de todos os julgamentos, você não deve mudar

Bolinhodearroz
Aura: Maryuuin Kouga Saigo No Tatakai
©AIC A.S.T.A. / Aura: Maryuuin Kouga Saigo No Tatakai

Hoje falaremos um pouco sobre um filme muito interessante, baseado na light novel de volume único de Romeo Tanaka, lançado em 2013, produzido pelo estúdio AIC A.S.T.A., com direção de Seiji Kishi (Angels Beats, Jinrui wa Suitai Shimashita) e roteiro de Jun Kumagai. Seu nome é Aura: Maryuuin Kouga Saigo No Tatakai. Apesar de parecer um pouco confuso no início, assim que você entende do que realmente se trata o enredo, passa também a compreender sobre muitos pontos da vida, sobretudo para quem foi otaku nos anos 2000 (muito antes de hoje em dia, onde o gosto por animes ficou tão popular e comum) e precisou lidar com os olhares de julgamento e o bullying dos familiares e amigos.

Também é bom adiantar que este filme não tem uma grande excelência em animação e trilha sonora, porém vale à pena dar uma chance para a obra, por poder abrir muitos horizontes em assuntos sensíveis como viver do jeito que quer, sem ligar para o “mundo real”.

Aura: Maryuuin Kouga Saigo No Tatakai
©AIC A.S.T.A. / Aura: Maryuuin Kouga Saigo No Tatakai

Nesse longa metragem acompanhamos a história de Satou Ichirou que encontra, por acaso, uma garota chamada Satou Ryouko e que se auto-intitula uma researcher de outro mundo que veio para salvar aquele de uma enorme ameaça, mas só por Ichirou ter esbarrado, sem querer, com ela ele agora passa a viver uma realidade totalmente diferente da que vivia antes e deixa de ser apenas mais um estudante comum para uma espécie de “escravo” dela na busca pelos conectores do dragão (como ela mesma afirma).

Tudo o que Ichirou queria era viver uma vida normal depois de seu passado traumático envolvendo bullying dos colegas da antiga escola e agora tudo que ele mais evitou passou a ser seu martírio constante. Vamos, aos poucos, vendo Satou Ryouko andando fantasiada como se quisesse salvar o mundo, mas todos sempre a vendo e a julgando muito estranha por esse comportamento. Ela se diz uma bruxa (denominada “researcher”) de outro mundo, em busca dos conectores do dragão e que nenhuma “pessoa normal” pode vê-la, mas na verdade estão todos a vendo e o Ichirou precisa segui-la, mesmo não querendo, pois foi um pedido de seu professor para protege-la e mantê-la frequentando a escola.

Aura: Maryuuin Kouga Saigo No Tatakai
©AIC A.S.T.A. / Aura: Maryuuin Kouga Saigo No Tatakai

Logo no início vemos o Ichirou morrendo de vergonha por estar sendo seguido por uma garota fantasiada enquanto ela finge que ninguém a vê e que tudo que ela diz é realmente verdade, mas por precisar estar sempre ao lado da garota, ele precisa lidar com todo o bullying que a Ryouko sofre diariamente, além de ter que equilibrar seu próprio estado mental por conta de todos os julgamentos que ele passa a receber como consequência.

Para não deixar escapar nenhum spoiler, não posso detalhar tanto o que acontece a partir da daqui e o que resulta o filme, mas é bom apontar também como, do nada, alguns de seus colegas de sala passam a se comportar como se fossem “Guerreiros dos Sonhos” (como eles se intitulam como heróis) e isso é o que deixa aberto um sinal para que comecemos a questionar a história do filme. Será que é realmente uma situação onde pessoas malucas acham que são heróis ou existe algo a mais por trás?

E tudo, do nada, começa a sair do controle na sala de aula. Cada situação mais bizarra e esquisita que a outra. Além de que, desde o início, parece que tem algo muito errado acontecendo na casa do Ichirou e só conseguimos entender bem perto do final.

Aura: Maryuuin Kouga Saigo No Tatakai
©AIC A.S.T.A. / Aura: Maryuuin Kouga Saigo No Tatakai

Portanto, esse filme desafia nossas percepções o tempo inteiro, pois desde o início sentimos que tem algo de errado acontecendo, mas não conseguimos definir o que está fora da curva e o que é real ali. Até o final, antes de entender o que está se passando, só conseguimos sentir empatia por aquela garota que tanto sofre nas mãos dos colegas maldosos e compreender o dilema existente no Ichirou que tenta entendê-la e protegê-la.

Ichirou, ao ver que Ryouko não desiste de sua fantasia, nem mesmo com tantos ataques que sofre, passa a agir como um protetor dela em várias situações e tentar minimizar os riscos que ela corre ao ser julgada por todas as pessoas.

Apenas a partir da metade do filme começamos a entender que o bullying e a fuga da realidade são o foco ali, onde Ichirou precisa proteger Ryouko, a pedido do professor, e vê tudo de ruim que ela sofre por ser do jeito que é. Até que esses alunos o enfrentam também e ele precisa tomar decisões difíceis.

Aura: Maryuuin Kouga Saigo No Tatakai
©AIC A.S.T.A. / Aura: Maryuuin Kouga Saigo No Tatakai

Só conseguimos entender o que realmente se trata tudo aquilo nos últimos momentos do filme. Assim passamos a compreender um pouco o pensamento daquelas pessoas que precisam seguir caminhos fictícios para fugir do tormento que é o mundo real, comprovando-se nos inúmeros casos de bullying demonstrados na história.

Assim, apesar de tudo ser um pouco confuso e a história perder um pouco de sentido em determinado ponto, é muito válido salientar que existe sim uma mensagem por trás de tudo e que precisamos refletir bem para entender isso. Ele nos mostra que a realidade é dura demais para algumas pessoas conseguirem viver sem precisar se “cobrir” com um escudo ficcional de suas próprias histórias imaginárias. Essas pessoas escolhem recorrer à fantasia para fugir de tudo que lhes machuca e poder viver tranquilamente, sem medos.

Por isso eu citei os otakus dos anos 2000 (ou até mesmo antes) logo no início deste artigo. Quem viveu uma época onde falar de desenhos e gostar de personagens fictícios era motivo de sofrer bullying dos colegas e passar por julgamentos familiares pode entender muito bem o dilema dos personagens desse filme e como as reações de todos ao redor deles não é nada fora do comum, infelizmente.

Aura: Maryuuin Kouga Saigo No Tatakai
©AIC A.S.T.A. / Aura: Maryuuin Kouga Saigo No Tatakai

É uma história sobre a dualidade entre viver uma “vida normal”, com todos os caminhos mais difíceis da vida, ou se entregar para o mundo fantasioso das histórias onde você é o único herói capaz de salvar aquele mundo de tudo que o ameaça. Ichirou é o protagonista que só quer tentar “ser normal”, deixando seu passado para trás, mas Ryouko é aquela que não consegue enfrentar a realidade e se entrega para o imaginário, se apoiando agora naquele que seria o único que poderia entende-la: Ichirou.

Então, aqui encerramos mais um artigo e deixo essa recomendação de um filme que pode impactar muito quem já passou por situações parecidas, mas que também serve como uma boa reflexão para quem nunca precisou enfrentar tal situação.

Aura: Maryuuin Kouga Saigo No Tatakai
©AIC A.S.T.A. / Aura: Maryuuin Kouga Saigo No Tatakai

Comentem embaixo o que acharam, se já viram ou não esse filme, e deixem também suas recomendações de obras semelhantes para quem mais tiver interesse.

SUA OPINIÃO É IMPORTANTE. COMENTE AQUI!
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião
deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

5 1 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
anonimo
anonimo
14 dias atrás

para quem sofre de depressão pode ser um filme que muda a inspiração da pessoa de querer sentir o mesmo que o protagonista, eu acabei chorando por causa do filme mas mesmo que ele não pareça ter tanto impacto, os meus sentimentos fizeram com que isso fosse além

Last edited 14 dias atrás by anonimo